ABRA ESPAÇO PARA OS ANJOS

Deixe um comentário


(Mensagem de Maria canalizada por Pamela Kribbe 
Fonte: https://www.jeshua.net/channelings/make-room-for-angels/)

Queridos e belos homens e mulheres, eu sou Maria. Não estou aqui sozinha. Tenho anjos ao meu lado. São os seus anjos, seres de luz que estão conectados com cada um de vocês. Sintam a bondade e gentileza deles. Eles estão aqui por vocês. Cada um de vocês está rodeado de anjos de luz que desejam ajuda-lo em seu caminho na Terra. Abra espaço para esses anjos! Permita que eles o envolvam com uma vibração muito suave e leve. Sinta como a energia deste espaço se ilumina com a presença deles. Eles querem muito lhe oferecer algo, permitir que você compartilhe a luz do Lar, as esferas a que pertence, a atmosfera de luz de onde você veio. Permita que esses anjos lhe concedam cura.

Estamos em um grande círculo ao seu redor e gostaríamos de retirar um pouco da dor e do peso que muitas vezes você vivencia no seu dia-a-dia. A vida deveria ser mais fácil, mais alegre e suave, e isto começa com o amor por si mesmo. O primeiro passo é se permitir ser ajudado, aceitando a energia de luz, ternura e cura que agora lhe está sendo oferecida. Imagine que você abre todas as células do seu corpo e que elas inspiram amor e cura. Faça isto com bastante consciência, e diga a si mesmo: “Eu posso receber esta energia e permitir que ela jorre do topo da minha cabeça como uma ducha quente envolvendo todo o meu corpo. Que comece, então.” 

Esta energia é da mais alta vibração; ela não tenta forçá-lo de nenhuma forma; só deseja proporcionar-lhe tranquilidade, alegria e prazer. Deixe essa energia fluir através do espaço silencioso no centro da sua cabeça, seu “olho” interior, que se torna imóvel e brilhante. Deixe de lado o excesso de pensamentos; veja esse fluxo interminável de pensamentos em sua cabeça como algo do qual você pode se desconectar, como algo que não é necessariamente seu. Você pode estar nesse lugar sossegado no centro da cabeça, deixando a energia do anjo fluir através dela e assumir o espaço que antes era ocupado por pensamentos desnecessários. Você faz uma coisa muito importante por si mesmo, simplesmente estando presente com sua consciência dentro do seu corpo: você se volta para si mesmo e deixa ir, libera…

Permita que essa energia angelical desça pela sua garganta e coração, preenchendo seu pescoço, ombros e tórax. Deixe que isto aconteça por si só, naturalmente, e embora você talvez não perceba nada a princípio, tente sentir a alegria dos anjos. Lembre-se da liberdade, do amor à vida, da vivacidade do espírito e das esferas celestiais, e preencha seu coração com tudo isto. Libere todas as preocupações e esteja completamente no agora. Permita que a energia flua mais profundamente ainda, abrindo a área do seu abdome, e saiba que todo espaço que você abrir para receber essa energia será imediatamente preenchido com a suave vibração do amor

Você pode ouvir os anjos cantando para você. Eles o conhecem e o amam incondicionalmente. Não é um amor impessoal; eles sabem quem você é, eles são seus anjos. Eles percebem quando você está cansado, ou magoado, ou sentindo-se pesado; eles sabem tudo isso. Ouse confiar-se a esse amor e deixe que ele se derrame sobre você, fluindo para seu chacra raiz, seus quadris e coxas, e descendo para o solo sob seus pés. Sinta como os anjos sustentam suavemente os seus joelhos e levam a energia para a Terra. Sintonize-se com a grande consciência deles. Eles não percebem as coisas em termos de certo ou errado, eles realmente não têm nenhum julgamento a respeito do que você faz ou não faz na sua vida diária; eles apenas desejam amá-lo e relembra-lo de quem você verdadeiramente é e do amor que você merece. 

Peço-lhe agora que se aprofunde mais em si mesmo, em seu próprio coração, e que aí perceba que você mesmo é um anjo, que você é um deles. Você conhece a energia do amor intimamente, porque a viveu. Você já esteve em outros planos além da Terra, nos quais conheceu completamente a energia do amor, foi sustentado por ela e sentiu desejo de compartilhá-la com todos os outros seres vivos. 

Assim como esses anjos, que agora lhe oferecem incondicionalmente sua luz, você também é um anjo. Tente aceitar este fato e diga “sim” a ele. E então sinta uma semente no fundo do seu coração, um embrião da luz angelical que você é. Para a sua consciência humana, isto pode parecer algo delicado demais, uma semente tenra demais, mas a energia angélica é essencialmente indestrutível, ela não pode ser destruída por nenhuma força. Ela é o “sangue” do próprio universo, do qual tudo é feito. 

A energia dos anjos e do amor possibilita liberdade e não força, por isto, às vezes parece ter sido destruída, ou se afastado. Mas na realidade, este não é o caso, pois a energia angélica está sempre presente e pronta para ajudar, quando solicitada. Sinta como, no fundo do seu ser, você sabe que é invulnerável e indestrutível, e que, por ser amor, nada pode lhe acontecer.

Sinta o poder do amor. O amor se move através das defesas do medo e da resistência, porque sempre reconhece a igualdade dos opostos. O amor não cria nenhum julgamento, nenhuma separação nem dualidade, mas sempre conecta e une. O amor pode parecer frágil, mas, na verdade, é justamente o contrário, porque aquilo que se separa do amor é, de fato, muito frágil; permanece na solidão e vive no medo, e por isto, precisa se defender constantemente. 

Você tem medo do seu amor, de mostrar sua beleza mais profunda para o mundo, e assim se esconde e se defende por trás dos muros que construiu. Mas é isto que o torna vulnerável, porque você tem sempre que se defender e proteger. Quando ousa permanecer na grandeza do seu próprio amor, você é invulnerável; você se move com o universo e não contra ele. Todas as leis que se aplicam ao cosmos estão de acordo com a lei do amor, que é a lei mais elevada. Se seguir essa lei, nada poderá lhe acontecer. 

Você se acostumou tanto a viver dentro dos muros de defesa fundamentados na separação, que quase precisa dessa separação para poder funcionar. Você ainda não consegue acolher completamente a consciência unificadora do amor. Tudo bem, mas peço-lhe que se desapegue daquelas partes do muro que já caíram e que estão prontas para o poder primordial do amor, de modo que este possa entrar mais livremente em sua vida. A única coisa que o amor pede de você é que libere, deixe ir o que é velho, soltando-o com gratidão pelo que lhe serviu no passado. 

Sinta a energia curativa dos anjos, que aqui lhe é oferecida, fluindo novamente ao seu redor, e observe se tem alguma percepção, inspiração ou sensação a respeito do que você pode desapegar-se na sua vida, que lhe traria um sentimento de libertação. Talvez possa liberar um pensamento que está sempre voltando à sua mente, atormentando-o ou exigindo coisas de você. Ou, talvez, esteja na hora de se desapegar de um relacionamento, uma amizade ou seu ambiente de trabalho e procurar algo novo. Gentilmente permita que esse algo novo se revele. 

Finalmente sinta a energia do amor preencher a sua aura – o campo de energia ao seu redor – e visualize-a tão ampla quanto sentir que seja apropriado para você. Talvez você veja cores claras e transparentes na sua aura, ou talvez apenas sinta suavidade e leveza. É suficiente permitir que o que for velho seja liberado da sua aura; não precisa saber exatamente o que isso é. 

Peço-lhe que leve a sério aquilo que deseja vir a você como presente – o amor – o amor que você pode dar a si mesmo, que abre as portas para ainda mais amor “lá de fora” – a assistência de guias e anjos. Você tem a chave nas mãos, então sinta sua importância. Com ela, você pode colocar-se na luz, onde pode perdoar, confortar e encorajar a si mesmo; onde pode ser paciente consigo mesmo e compreender totalmente seus próprios medos. É assim que os anjos querem apoiá-lo, para que se sinta bem a respeito de quem você é, onde quer que esteja e o que quer que esteja fazendo. Esta é a mensagem deles para você. 

© Pamela Kribbe 
www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa 
veracorrea46@gmail.com
www.jeshua.net/por

CURA DO PLEXO SOLAR DO MUNDO

Deixe um comentário

(Steve Ahnael Nobel)

O evento planetário em janeiro de 2020, é realmente uma rara conjunção quádrupla, envolvendo Saturno, Plutão, Mercúrio e o Sol. A cerimônia interrompida anteriormente culminará na reativação do cordão umbilical solar do Planeta Terra com o Sol, e, em níveis mais profundos, com o Grande Sol Central. Isso, por sua vez, vai ajudar na criação de uma comunicação arquetípica entre o Sol e a Terra, para nos ajudar a acolher de uma maneira mais plena a ‘Era Dourada’.

Várias semanas atrás, uma pessoa do nosso grupo recebeu a mensagem de que ‘é o momento de conectar-se’. Mostraram-lhe bolhas de luz intensificando-se em torno de dois centros energéticos de Uluru e Kata Tjuta. Ela pôde ver o povo aborígene cantando essa energia em uma bolha, em seguida, as águas rompendo um saco amniótico. Uma luz cristalina de um azul pálido, depois uma luz cor de malva formando-se ao seu redor. Disseram-lhe que parte do DNA do povo aborígene está vibrando e contribuindo para o nascimento/ativação.

Estamos solicitando às pessoas para, por favor, enviar energia para a Cerimônia Ngaltawalddi, que estará sendo realizada em Uluru, localizada no Território do Norte da Austrália, no dia 12 de janeiro de 2020, e que visualizem o Cordão Umbilical Cósmico sendo curado.

Eis as palavras para ajudá-los nesta cura do chacra do plexo solar do mundo:

Deixem o Sol brilhar em Uluru e Kata Tjuta,

Deixem que o Caminho da Serpente do Arco-íris seja claro,

De modo que mais saúde e vitalidade possam circular

Por todo o mundo, para abençoar todos os seres;

Hoje, respirem……relaxem……sorriam……e deem graças à Terra.

Steve Ahnael Nobel

Tradução de Ivete Brito – adavai@me.comwww.adavai.wordpress.com

O JARDIM DO ÉDEN

Deixe um comentário

 
(Mensagem de Jeshua canalizada por Pamela Kribbe em novembro, 2019
Fonte: https://www.jeshua.net/mornings/mornings29.htm)

Queridos amigos, saúdo todos vocês do coração da energia Crística. Falo a partir da energia Crística, que se move dentro de vocês e os leva a um tipo diferente de realidade, a um campo de consciência coletiva que difere da consciência que prevalece atualmente na Terra. 

Vocês são diferentes da massa da humanidade. São os pioneiros de uma nova era, e estão procurando criar um caminho para um novo território. O trabalho que estão realizando é importante e exige muito de vocês. Vocês criam trilhas energéticas para que outros sigam em direção a uma nova forma de consciência. 

Sabemos que esse é um caminho solitário. Nele, vocês se deparam com medos que desconhecem e não sabem lidar bem com eles. Inclusive, por pertencer à vanguarda, a um grupo de pioneiros, vocês não podem recorrer a nada que lhes seja familiar. Vocês são valentes e corajosos, entretanto, ao mesmo tempo, encontram dúvidas sombrias neste caminho solitário para algo novo. Para deixar bem claro de onde vocês vieram e como chegaram neste caminho, eu os levarei de volta a um passado distante. 

Gostaria de leva-los de volta à época do Paraíso, ao qual a Bíblia se refere como “Jardim do Éden”, onde viveram os primeiros seres humanos, Adão e Eva. Peço-lhes que deixem de lado tudo o que sua tradição lhes contou sobre este período e lugar. Nesse jardim, havia muita vida que brotava e procurava novas formas. Todos os tipos de formas se desenvolviam nos reinos vegetal e animal, assim como no reino das pedras e dos minerais. E vocês estavam lá nesse jardim. A Terra era abundante e cheia de vida, e vocês faziam parte disso – não como seres humanos, mas como seres etéreos em forma de anjos. Vocês pairavam sobre a Terra e, com suas formas-pensamentos, inspiravam-na a tornar-se fértil. 

Como vocês chegaram a fazer isso? Vocês mesmos estavam em um caminho; vocês tinham empreendido uma aventura. Em sua essência de anjo, havia uma necessidade de explorar, uma curiosidade de viajar para o novo. Então, em algum ponto de sua longa jornada, vocês chegaram no planeta Terra. Sentiram que algo novo estava se iniciando aqui, alguma coisa especial, alguma coisa rica. Como seres angélicos, vocês se sentiram atraídos pela Terra. O fato de poder estar aqui e explorar as possibilidades presentes neste planeta lhes dava uma sensação de felicidade. E foi assim que, ao circular pela Terra, vocês foram inspirados a penetrar em uma pedra ou uma planta ou uma árvore, ou em um pássaro. Cuidadosamente, vocês infundiam essas formas materiais com sua consciência, e entravam e saiam delas. 

Se fossem capazes de rir, teriam rido também, mas ainda não tinham um corpo com o qual fazer isso. Vocês eram como crianças: brincalhões, cheios de confiança, cheios de amor. Sentiram-se convidados a participar de um grande processo de criação que estava ocorrendo na Terra; e foram co-criadores daquela realidade. Conseguem imaginar o quanto foi grandioso aquele momento… todo aquele período em que vocês estiveram envolvidos com o Terra e o processo de criação? Vocês enviavam sua energia em direção à Terra; energia luminosa que inspirava as formas materiais da Terra a se desenvolverem em todo tipo de seres vivos. Esta evolução foi influenciada externamente pelos seres etéreos, angélicos, que vocês eram. 

Em algum ponto, vocês decidiram vivenciar internamente essas criaturas feitas de matéria, e assim tomaram a decisão de se tornar parte da Terra. Vocês realmente escolheram encarnar em uma forma densa, um corpo, e permanecer dentro dele do nascimento à morte. Isto foi um salto bem grande em sua evolução. Passou-se muito tempo nesse processo – agora omito muitos dos passos envolvidos – mas chegou um momento em que vocês quiseram experimentar como seria estar encarnado como ser humano. Depois de terem praticado com corpos de outras formas de vida, a culminação desse processo veio como a encarnação em corpos humanos. 

É importante que imaginem e entendam como o anjo, que vive em vocês, é leve, flutuante, flexível e livre, e como ele não conhece nenhuma escassez. Um anjo vive da abundância e tem pouca experiência de resistência. Ele vai para os lugares, para as realidades onde se sente convidado. Ele segue seu coração sem esforço e sem dúvida, e sempre descobre e experimenta coisas novas. Então, quando vocês entraram em corpos humanos, novas emoções de incompreensão e inexperiência certamente surgiram com a vida nessa nova forma material; e essa experiência era nova também. 

Com suas mentes questionadoras, curiosas, abertas, vocês absorveram tudo. Mas, com o tempo – e aqui, mais uma vez, estou falando de períodos muito longos – vocês perderam parte de sua luz. Parte da liberdade que haviam conhecido enquanto anjos, tornou-se velada pela vida na matéria; de repente, vocês começaram a experimentar a realidade limitada por um corpo – com seus olhos, vocês enxergavam uma coisa; com suas narinas, cheiravam outras; com suas mãos, sentiam isto ou aquilo. Todos esses sentidos resultavam numa percepção fragmentada da realidade. A experiência do mundo parecia muito diferente através de uma consciência terrena, de uma consciência humana. A luz, sempre presente, já não era mais tão facilmente acessível e tangível para vocês. Entretanto, vocês sempre carregaram uma lembrança dessa luz dentro de si, mesmo enquanto avançavam na jornada da encarnação, manifestando-se na matéria, em um corpo e, desta forma, construindo, funcionando e vivendo em uma nova realidade energética. 

Todos vocês atingiram o ponto mais profundo do seu processo de encarnação e estão agora no caminho de volta. Esse ponto mais fundo também representa o ponto mais escuro. Chega um momento em que a alma está tão mergulhada na matéria, que não reconhece mais seu próprio ser angélico… não o sente mais. Ela pensa que a realidade física é tudo que existe: “Eu sou meu corpo, sou meu cérebro. Meu pensamento, minhas atitudes, minhas ações são guiadas pela matéria, não pelo espírito.” Como resultado, vocês também podem começar a se sentir impotentes, tristes e angustiados. As coisas podem perder o sentido, porque vocês não sentem mais orientação, não têm mais a sensação de estar imbuídos daquela luz interior que é seu Lar, sua origem e fonte. 

Chega um momento, na jornada de toda alma, em que o ser humano atinge o ponto mais distante possível do seu Eu Angélico. Sinta, por um instante, como você reconhece isso pela sua própria experiência. É aquela situação em que você sabe: “Alcancei o ponto e o tempo mais distantes. Conheci as mais profundas trevas, e isto faz parte da minha jornada, da minha exploração, da minha aventura. Isto não é ruim nem bom; é simplesmente assim que é.”. E agora você está fazendo seu caminho de volta.

Entretanto, no processo de “des-encarnação”, de deixar as partes mais densas da matéria, você sente dificuldade em se libertar das trevas e do medo que encontrou dentro de si mesmo, os quais surgiram porque você se sentiu rejeitado pela sua luz interior, pelo ser que você é em essência. Eu o incentivo a olhar profundamente para esses medos. Está na hora de abandoná-los, de desapegar-se deles. Eles lhe foram úteis de alguma forma, e você aprendeu bastante com eles. 

A consciência Crística não é nada além daquela que experimentou e vivenciou todas as facetas do ser na matéria. A partir dessa experiência surge uma compreensão e compaixão por tudo o que existe, respira e sente. Vivenciar isso a partir do íntimo de todas as facetas da vida é riqueza interior. Você já fez tudo isso, embora ainda esteja se esforçando nesse sentido. 

Estamos em um momento de mudança e transição, e você está entre os primeiros a lutar com isso; particularmente no campo do trabalho, onde está em contato com a sociedade e suas ideias coletivas e padrões de pensamento. É exatamente aí que você se encontra. Por um lado, porque deseja seguir um caminho diferente, e, por outro lado, porque é aí que aqueles velhos medos são ativados. 

Seu passado lhe ensinou muito sobre o que é “bom” e o que é “ruim”, sobre o que pode ser e o que não pode ser. Entretanto, a única coisa que é realmente boa para você, que o conduz ao seu destino, é a voz interior do seu eu autêntico. Ser autêntico significa ouvir a si mesmo e não se distrair com todas as informações que lhe chegam “de fora”, que lhe dizem o que fazer e o que não fazer. O “segredo” que se refere a você é que o seu pensamento e os seus medos também são informações “de fora”, que não vêm do seu âmago, do seu conhecimento interior. É tudo informação externa. 

No momento em que você começa verdadeiramente a reconhecer que você não é seus medos, que você não é seus julgamentos internos, sua percepção muda. E então você passa a se manter centrado na sede do seu coração, no centro do seu ser. O sol que você é sempre esteve aí, mas agora ele está verdadeiramente incorporado na matéria, de onde deseja irradiar sua luz. Ele deseja voltar a inspirar a Terra com sua luz, só que agora, no sentido real, tangível da palavra – a partir da matéria em um corpo. Não como um anjo etéreo, mas como um ser humano, um anjo encarnado. 

Esta é a luz que você veio trazer para cá. É isto que significa ser um trabalhador da luz – é encontrar sua origem em meio à realidade terrena, que está envolvida numa luta, onde existem muitos medos, bloqueios e julgamentos. Você se torna livre quando se identifica com esse anjo dentro de si. E, para isto, eu gostaria de lhe oferecer algumas abordagens alternativas.

Na Terra, você foi treinado para pensar e fazer… ao extremo! Desde a mais tenra idade, sua educação se concentrou em manifestações externas: O que você é capaz de fazer? O que você é capaz de produzir? A que nível chega a sua capacidade de colocar as coisas em palavras, conceituar, categorizar e rotular?… Tudo isso são construções externas. Pensar e fazer são basicamente instrumentos terrenos para permitir que a energia da sua alma se expresse externamente; mas o que geralmente acontece é que a energia da sua alma acaba sendo sufocada por esses instrumentos. Se o pensamento for considerado importante por si só e não for alimentado pelo coração, pela intuição, ele começará a levar uma vida própria, tornando-se caótico e apavorado, porque o pensamento por si só não possui unidade. Muitos processos de pensamento podem passar por sua mente ao mesmo tempo – informações de diversas fontes – resultando, assim, em energia fragmentada. 

A única coisa que pode verdadeiramente unificar é o coração. Pensamentos são úteis e funcionais, pois ajudam a fazer a energia da sua alma fluir para fora. O mesmo se aplica às ações. Mas, em sua sociedade, impera uma espécie de obsessão por fazer. Vocês estão sempre trabalhando em alguma coisa. Acreditam que muito pode ser conseguido através da ação, e ficam desapontados quando isto os leva a um beco sem saída. O que desejo lhe dizer com isto é que muito provavelmente você foi ensinado a agir depressa demais, e não seguir o ritmo da sua alma, daquele conhecimento íntimo de que algumas coisas avançam mais lentamente e requerem mais tempo para se desenvolver do que simplesmente pensar e agir. As exigências externas lhe pedem que realize as coisas rapidamente, que conquiste algo imediatamente, que execute logo, que não deixe para mais tarde. 

Existem todos esses requisitos e regras que “devem ser seguidos”, mas todos eles são mecanismos de controle tentando tomar conta da sua vida. A vida não está mais sendo inspirada pela energia ágil e fluida do anjo do seu Eu Superior. E assim, desta maneira, o anjo fica preso em processos de pensar e fazer. Você sente isto quando se frustra se as coisas não funcionam. Isto se torna ainda mais difícil quando há informação externa do tipo: “Você tem que trabalhar mais duro – dar o melhor de si!” Ou quando você precisa estabelecer novas regras para si mesmo, como: “Seja mais disciplinado.” É assim que as soluções da mente funcionam, mas não é aí que se encontra a verdadeira solução. A solução não reside em estruturas, planejamento e pensamento. Essa solução, essa resposta, encontra-se internamente, na fonte do seu ser. É lá que tudo nasce.  

Aprecie seus pensamentos e ações, mas não permita que eles comandem tudo. Encontre momentos para experimentar a calma, e permita que seus pensamentos e ações fiquem em silêncio. Tente não se obcecar por resultados – siga seu coração. Se ele lhe der a entender que está na hora de fazer determinada coisa, faça-a. Se lhe disser para não fazer isto e aquilo, ouça essa voz. Podemos perceber esta maneira de reagir nas crianças. Elas seguem o fluxo natural com muito mais facilidade do que os adultos. É por isto que, como pai, mãe ou professor, sentimos que muitas vezes as crianças podem ser teimosas e irritantes. Mas elas seguem seu fluxo natural, seu ritmo natural. Uma criança aprende no seu próprio tempo e no seu próprio ritmo. Ela cria coisas a partir de dentro do seu próprio ser. 

Este também era o caso do ser angélico que você era originalmente, naquele Jardim do Éden, naquele tempo remoto. Você era brincalhão e livre como uma criança e criava maravilhas. Era mágico! E se alguém perguntasse a esse anjo: “Como você faz isso? Como você sabe o que tem que fazer?”, ele responderia: “Não faço nada; eu apenas brinco. Faço o que me dá vontade, o que me inspira.” E, no entanto, a partir dessa sabedoria interior e do amor, o anjo sabia qual era o caminho. Tudo isto também está presente em você… agora! O único propósito do exercício que estamos fazendo aqui é ajudá-lo a despertar. Você é aquele ser angélico; solte as rédeas desse anjo. Encontre momentos em que possa sentir aquela descontração, aquela alegria. Desta forma, sua energia começará a fluir novamente. 

Quando você se envolve em “coisas” e se sente frustrado, ansioso ou desanimado, acaba ficando preso no “pensar” e “fazer”; um “fazer” que se tornou estagnado. Quando seus pensamentos seguem padrões do tipo: “Tenho que fazer isto, mas parece que não consigo que funcione.”, você está preso no modo “fazer”. O que você precisa, então, é abandonar essas duas energias – pensar e fazer – junto com a compulsão inerente a ambas, de modo a se libertar delas e voltar àquela criança que existe dentro de você, seu ser angélico. A criança e o anjo estão conectados. 

Agora peço a todos vocês que experimentem esse sentimento enquanto estamos sentados aqui, cada pessoa simplesmente sendo ela mesma sem seu próprio acervo de problemas ou questionamentos. Minha energia está aqui com todos vocês. E quero pedir que cada um confie nessa consciência angélica em seu interior. Ela o conduzirá ao ponto em que encontrará sua própria liberdade e sentirá: “Estou aqui pela minha própria vontade. No âmago do meu ser, eu sou um mestre. Eu crio esta aventura para mim mesmo e recebo tudo de que necessito – eu sou completo” Diga “Sim” para esta consciência e veja seus medos e dúvidas a partir desse lugar dentro de si. 

Mantenha em mente esse jardim, esse paraíso, no qual você viveu um dia, e acredite que pode trazer essa energia para o aqui e agora. Você pode fazer maravilhas, mas não precisa saber como. Apenas se abra para essa consciência interior que você pode carregar consigo para sempre, e permita que todas as coisas aconteçam espontânea e naturalmente. 

Muito obrigado. 

© Pamela Kribbe www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com,www.jeshua.net/por

ULURU 2020

Deixe um comentário

(Bemay Le)

Como uma Transmutadora, a purificação do Portal ULURU começou para mim, ontem à noite, à medida que eu entrava em meditação profunda.

Escrevi sobre isso em 2016, quando o Espírito me disse que eu trabalharia no Portal de ULURU até 2020. O tempo divino para a conclusão do meu trabalho é AGORA em janeiro de 2020. ❤️❤️❤️

As energias do plexo solar que estavam sendo purificadas na noite passada, foram sentidas de uma maneira muito forte e dolorosa, como aquelas que estão mudando a partir do coletivo humano na Austrália, por causa dos incêndios que estão ocorrendo no momento. Havia profunda ira, raiva e ansiedade sendo transmutadas em meu plexo solar. Senti-me incrivelmente doente ao purificar essas energias, mas elas serão concluídas no tempo divino. 🙏

O plexo solar de Gaia, localizado aqui na Austrália, no Portal ULURU, precisa manter-se LIMPO para o que irá ocorrer na próxima semana.

Peço a TODOS, os Trabalhadores da Luz e aos Trabalhadores da Sombra, para que REORIENTEM suas energias para a cura e a purificação do chacra do plexo solar da TERRA ÚNICA, particularmente às que estão conectadas ao nosso chacra do plexo solar.

Façam o que puder para permanecerem fortes, CALMOS, pacíficos e NEUTROS e INCONDICIONALMENTE AMOROSOS internamente, na próxima semana.

Devemos nos UNIR para curar e purificar a nós mesmos e não ficar distraídos com a cortina de fumaça que são os incêndios florestais australianos. Não precisamos da mídia nem de distrações energéticas!

CONCENTREM-SE nos importantes alinhamentos cósmicos que ocorrerão no ULURU 2020 e nada mais! Somos UMA MENTE, UM CORAÇÃO E UMA CONSCIÊNCIA CÓSMICA. 🙏

Hoje, eu me concentro naquilo que a minha equipe de orientação espiritual precisa que eu faça, em preparação para este evento cósmico, como parte da equipe de base que vive na Austrália e trabalha na reconexão divina no Portal ULURU 2020.

Peço a TODOS que façam a mesma coisa, principalmente os Trabalhadores da Luz e os Trabalhadores das Sombras atualmente ancorados na Austrália! Mantenham o coração, a mente, a perspectiva e o propósito mais elevados. Enviem suas orações para que o elemental da água cure, mas mantenham suas energias LIMPAS, mantenham o seu plexo solar puro, concentrem-se no ULURU 2020!

MEDITAÇÃO e NEUTRALIDADE DIVINA são os melhores caminhos para se seguir à medida que acessamos um dos mais poderosos e mágicos eventos cósmicos em nossas existências! 🙏🙏🙏

Amor e bênçãos do plexo solar!

Bemay 🌈🌈🌈❤️❤️❤️

Guardiã do Grande Cristal

Guardiã do 13º Crânio de Cristal Ametista

Tradução de Ivete Brito – adavai@me.comwww.adavai.wordpress.com   

COMO DESPERTAR A ESPIRITUALIDADE NOS OUTROS?

Deixe um comentário

( Gustavo Tanaka)

Imagine o seguinte cenário.

Você e uns 10 amigos foram viajar juntos. Alugaram uma casa.

Chegaram, passaram o dia juntos e foram dormir. Cada um no seu quarto.

No dia seguinte, algumas pessoas acordaram bem cedo. Outras ainda estão dormindo.

Você acha que essas pessoas que acordaram mais cedo são mais evoluídas que os que ainda estão dormindo?

Elas apenas acordaram mais cedo. Talvez tenham acordado mais cedo porque têm o hábito de acordar cedo. Ou porque estavam descansadas. Ou porque dormiram muito mal. Ou porque o quarto em que estavam tinha muita claridade.

Elas não são melhores que ninguém.

Agora o que aconteceria se elas tentassem acordar os demais?

Eles iriam se irritar, iriam se incomodar, iriam brigar, não iriam descansar o tempo que precisavam.

E eles não são menos evoluídos. Você não sabe o que se passou com eles. Talvez tenham tido uma semana difícil. Podem estar com o sono acumulado. Podem ter ido dormir bem mais tarde que os que acordaram cedo.

O que os que acordaram mais cedo devem fazer entao?

Apenas seguir seu dia.

Começam a fazer o café da manhã, limpar a casa, preparar a programação do dia. Começar a organizar o que querem fazer.

Podem pensar nos outros e deixar o café da manhã pronto para todo mundo e já pensar nas possibilidades do dia para consultar os demais quando acordarem.

Assim, quando o outro acordar, vai se sentir cuidado. Vai sentir que está entre amigos. Vai sentir que aquela viagem é a viagem que, de fato, gostaria de fazer. Vai sentir que está no lugar certo.

A vida desses que acordaram mais tarde pode ficar um pouco mais fácil se aqueles que acordaram mais cedo prepararem o cenário…

E é assim que eu vejo o despertar da espiritualidade.

Talvez você sofra por enxergar um mundo que as pessoas ao seu redor não enxerguem.

Talvez você queira muito que as pessoas próximas de você vivam a mesma coisa que você vive.

Talvez você queira que elas se abram pra algo maior.

Mas elas ainda estão dormindo.

E se você tentar acordá-las, vocês vão brigar.

Deixe essas pessoas onde elas estão.

Continue seu trabalho sem querer trazer ninguém junto. Faça a sua parte e cuide da casa. Cuide do seu entorno e do que lhe é possível fazer.

E lembre-se de que você não é mais evoluído que ninguém. Estamos todos no mesmo jogo. Apenas acordamos mais cedo…

E daqui a pouco, todo mundo vai acordar. Sem exceção.

Quando o sol começa a bater forte, a luz entra nos quartos e não tem como continuar dormindo.

E é isso que está acontecendo agora.

A luz vem vindo com força. Logo logo todo mundo acorda. E quando eles acordarem, a gente já vai ter feito um monte de coisa pra facilitar a vida deles e nos divertirmos juntos nessa viagem…

Gustavo Tanaka

adavai@me.com – adavai.wordpress.com

A JORNADA INTERIOR

Deixe um comentário

(Mensagem de Maria através de Pamela Kribbe)
Fonte: http://www.jeshua.net/home/home14.htm

Queridos amigos, eu sou Maria. Saúdo todos vocês e estou muito contende de vê-los aqui. 

Saibam que os amamos, e saibam que existem guias espirituais ao redor de vocês, que são como velhos amigos seus. Do nosso ponto de vista, vocês estão apenas a um piscar de olhos distantes de nós. Mas, para vocês, o mundo espiritual parece tão longínquo e é por isto que muitas vezes duvidam de si mesmos e hesitam em acreditar na voz da sua intuição. 

Na sua vida cotidiana, cada um de vocês é absorvido por suas próprias atividades diárias e por pessoas e situações que atraem sua atenção. E assim oscila, porque está constantemente observando o mundo através dos sentidos físicos: olhos, ouvidos e nariz. As impressões sensoriais podem privá-lo da visão da sua realidade interior, da sua dimensão interior. Além disto, você foi treinado para pensar demais, para coletar e organizar, com a mente, as informações do seu ambiente e, a partir daí, reagir ao mundo. Mas a dimensão do mundo espiritual, que realmente perpassa você, e da qual você também faz parte, está literalmente muito próxima, se souber como penetrá-la.  

De fato, entrar no mundo interior significa afastar-se do mundo exterior e ancorar-se totalmente em seu corpo e sentimentos. Sua intuição e seu corpo são duas formas – duas pontes, digamos – que lhe possibilitam voltar-se para dentro de si mesmo. Ao entrar conscientemente no seu corpo, este lhe oferece um meio de aproximar-se do que é espiritual dentro de si. Então, você literalmente deixa de lado o mundo exterior, aquele mundo dos sentidos, o mundo das multidões e ruídos que o rodeia, e volta a tomar consciência de si mesmo!

Conectar-se com seu corpo aumenta a sua percepção. Então faça isto agora. Permita que sua consciência percorra toda a sua cabeça, desça por suas costas e pernas, e vá para dentro da Terra. Esteja completamente presente e consciente de si mesmo e deixe de lado todo o resto. Sinta a presença viva dentro do seu corpo e respire profundamente a partir do seu abdome. E assim faremos uma jornada interior que o levará mais perto do mundo espiritual. 

Imagine que você está numa floresta, e que caminha por ali com uma criança em cada mão – uma menina em sua mão esquerda, e um menino na direita. Você está caminhando com elas pela floresta, sabendo que há um lugar onde vocês deveriam estar. Você sente uma certa urgência de ir em busca disso. E pressente que a própria floresta pode lhe dar pistas. Então procura trilhas ou espaços abertos que o levem ao local, embora não tenha certeza de onde seja isso. Mas sente que existe alguma coisa que precisa ser concluída. 

As crianças que estão ao seu lado não estão com muita vontade de acompanhá-lo em sua busca. Incline-se em direção a elas, por um momento, e tente entender o que elas estão expressando. A menina, à sua esquerda, está com medo. Ela reluta em ser levada por todos esses caminhos desconhecidos. Ela agarra a sua mão e lhe pede para ficar ali, onde se sente mais segura. Ela lhe implora para permanecer ali e diz que quer viver nesse lugar onde vocês estão agora. Ela lhe diz que vocês já sabem o que vocês têm aí, e que isso está bom. A menina representa o medo em você. 

A floresta é boa – na verdade é uma bela floresta – mas você ainda sente que algo está faltando. Sabe que existe um lugar, um país talvez, onde se sentirá mais bem ajustado, onde sua natureza poderá se manifestar, e onde o ambiente é mais estimulante. Mas sente-se em conflito internamente devido a esse medo, pois sabe que está numa jornada interior para esse novo país. 

Então, você olha para o menininho à sua direita. Com a testa franzida e um ar muito zangado, ele lhe diz: “Nem pense em ir lá! Eu não confio nisso.” O garotinho está atento ao perigo e pensa que você não é confiável e que é tolo por realmente perseguir algo do qual não conhece o resultado. Ele quer impedi-lo de seguir adiante, e lhe diz enfaticamente para ficar onde estão. 

Observe sua atitude diante dessas duas crianças. Você as considera um fardo ou acha que elas são irritantes? Ou sente que deve ajudá-las, de alguma forma, porque lhe pertencem? Na verdade, você não pode entrar nesse novo local que está procurando, sem levar essas duas crianças consigo, porque não consegue chegar lá sozinho. Por mais estranho que pareça, você precisa delas para encontrar essa terra. 

Então, sente-se e olhe diretamente para as crianças. Olhe primeiro para a menina, e perceba o medo em seus olhos enquanto ela diz: “Estou com medo do desconhecido nesta floresta… a escuridão, os animais selvagens… Eu realmente não me atrevo a sair daqui. Não sei no que eu posso confiar. Não sinto nenhuma orientação, nenhum direcionamento.” Fite-a profundamente nos olhos e diga-lhe: “Eu sou o seu direcionamento e o seu guia. Confie em mim.” Veja se consegue transferir este sentimento positivo para ela, de modo a tranquilizá-la um pouco. Observe a linguagem do corpo dela e então lhe pergunte o que ela necessita para confiar em você. Ofereça-lhe essa confiança e acalme sua mente. Diga-lhe que ela pode sempre recorrer a você em busca de conselho, e que você a ama incondicionalmente e a protegerá. Veja como um vislumbre de entusiasmo e uma nova confiança surgem nessa menina. E ela repousa tranquilamente a mão na sua.

Volte-se agora para o menino. Ele está zangado e, devido aos seus motivos, está profundamente aborrecido. O menino representa a armadura que você construiu, a resistência a confiar na vida. Ele diz: “Não vou permitir mais nenhum dano a nós. Vou protegê-lo contra isso, portanto você deve ouvir o que lhe digo. Quero protegê-lo contra mais injustiça, contra mais aflição. Você já passou por sofrimentos demais em sua vida. Vou cuidar de você e defendê-lo. Fiquemos aqui e não procuremos mais longe. Aqui estamos em segurança, e você pode construir um lugar seguro, ou encontrar uma caverna onde possamos nos esconder.” 

Você sente uma certa tristeza no coração por esse menino, pois ele está sendo sincero. Ele quer ajudá-lo a aliviar sua dor e evitar qualquer recorrência de sofrimento. Mas o que ele de fato está fazendo é afastando-o de qualquer felicidade nova, de uma profunda conexão e abertura para a vida. O menino representa a sua resistência à vida, a sua tendência a se defender. Veja se consegue atraí-lo e conectar-se com ele através do olhar ou de alguma outra forma. Diga-lhe que entende por que ele está tão zangado. Nunca ficou muito claro para ele por que ele teve que passar por certos traumas em sua vida, e por que essas coisas surgiram em seu caminho. Ele está reagindo à dor que traz dentro de si e que não consegue entender. 

Há em você um conhecimento, um sentimento de que essa dor teve uma razão, de que ela fazia parte deste seu caminho. É um conhecimento que não necessita ser transmitido em palavras, mas simplesmente como um sentimento. Tente transmiti-lo ao menino através de um olhar ou da expressão do seu rosto. É um sentimento de que vocês estão numa jornada muito longa, e que tudo é uma peça do quebra-cabeça; que vocês deveriam confiar no fluir da vida, pois esta lhes trará coisas novas, e o velho sofrimento se dissolverá, se permanecerem abertos a isto. 

Observe se os músculos do menino começam a relaxar um pouco quando você põe a mão no ombro dele. Talvez você consiga sentir que há uma grande mágoa nessa criança – uma tristeza pelo que já foi e se perdeu agora. E diga-lhe: “Nós precisamos de você! Eu e a menina a meu lado precisamos de você! Sua vitalidade, sua paixão, são necessárias para realizarmos nossa jornada. Por isto, atreva-se a permitir que essa paixão fluia novamente; atreva-se a penetrar no novo, pois sua coragem e comprometimento são essenciais a esta jornada.” 

E assim vocês três se unem e as crianças se transformam, passando a ser como as crianças devem ser; alegres, entusiasmadas e cheias de aventura! Elas não se preocupam com o dia de amanhã e com o que virá – elas confiam no presente. E agora você se deixa guiar pelas crianças, e deixa-as livres para brincar. 

Num certo momento, você chega a uma abertura na floresta, onde começa uma nova paisagem. A impressão é que ali as plantas, as árvores e os animais possuem um novo brilho. O cenário parece convidá-lo e lhe dar as boas-vindas, então você entra nessa nação verde. Sentindo-se envolvido por uma leveza e tranquilidade, você atravessa a fronteira entre a velha floresta e a nova terra. As crianças estão dançando ao seu lado e entram correndo nesse novo território. 

Você sente-se em Casa aqui – sente-se livre! Seus passos são leves e você inspira uma energia que não é deste mundo. Você sente a fusão deste lugar espiritual com o terreno; eles não são separados um do outro. Existe um lugar na Terra para você – figurativa e literalmente – um lugar físico que também é espiritual, onde você pode vivenciar o espiritual e o mundano unificados. 

Corra por aí por uns instantes, ou sente-se, ou deite-se na grama. Sinta o sol na sua pele e a vida ao seu redor: os pássaros, os insetos, os animais, as flores – tudo vive no momento presente. As crianças brincam e dançam por aí. Quando sentir que é o momento, chame-as para junto de si. E quando estiverem sentadas com você, pergunte à menina em primeiro lugar: “O que é importante para mim, na minha vida na Terra? Transmita-me uma mensagem ou um sentimento. O que é importante para mim agora?”  E deixe que ela lhe responda com um olhar, uma palavra ou um gesto. Sinta, inclusive, como agora ela o encoraja, como agora ela se tornou uma espécie de guia para você, ao contrário do que era antes. 

Em seguida, volte-se para o menino e permita que ele lhe diga o que considera importante para você. “Existe alguma coisa que eu possa fazer para mim mesmo? Algo que me ajude?” Pergunte-lhe o que é importante, de acordo com ele. Depois agradeça às crianças e deixe-as brincarem de novo. 

Agora, volte tranquilamente a si, ao momento presente, e saiba que você sempre pode fazer esta jornada interior, afastando-se um pouco da vida cotidiana e de tudo que o ocupa tanto, que o faz perder a conexão consigo mesmo. 

Quando sentir que algo em você está desconfortável, é porque há crianças à sua volta querendo resistir, dizendo-lhe que você não precisa mudar nada, que deve continuar trabalhando sem parar e se ajustando à situação. Essas são as vozes do medo e da desconfiança, simbolizadas pela menina e o menino. Mas são justamente essas crianças, essas emoções, que fazem com que você mergulhe mais profundamente em si mesmo, quando decide ser seu próprio guia. É resolvendo e liberando essas emoções, que uma realidade mais profunda vem à luz. Essas crianças têm uma mensagem valiosa para você, portanto permita que elas falem. Se você tiver compaixão pelas suas emoções, elas se transformarão na voz da sua intuição. O lastro pesado, então, se dissolverá e as crianças passarão a representar sua natureza intuitiva.  

Faça este trabalho interno regularmente. Se não se sentir confortável em algumas situações, ou com certas pessoas, consulte as crianças em seu interior. Coloque-as à vontade e leve-as para aquela outra terra, onde você se sente em Casa e seguro. Esse é o lugar onde o terreno e o espiritual se sobrepõem e se fundem. Nesse lugar, você pode inclusive nos encontrar, e faremos tudo que pudermos para encorajá-lo a dialogar constantemente com a sua parte criança. 

Quanto mais você dialogar internamente consigo mesmo, em paz e simplicidade, mais a energia cósmica fluirá por você. Então, você fortalecerá sua conexão com o que você chama de “mundo espiritual” – o outro mundo. Esse mundo está aqui e agora. Ele é uma parte tão forte de você quanto o seu corpo terreno e seus cinco sentidos. É intenção da sua alma que esse outro mundo seja a base da sua vida aqui na Terra, porque ele lhe dá direção em sua vida; ele lhe mostra o que é realmente importante. Portanto, confie em si mesmo quando entrar nessa dimensão interna. Aí seus guias são os seus sentimentos, seu conhecimento interior. 

Ao entrar na dimensão interna, você precisa deixar de lado o que lhe foi ensinado, precisa deixar de avaliar as coisas com sua mente e de considerar real apenas o que consegue observar com seus sentidos. Sua sabedoria interior é que lhe diz se algo é verdadeiro e faz sentido para você. Confie nisto! É ela que orienta seu lado espiritual para estar mais presente na Terra, de modo a poder fluir em sua vida diária. 

Agradeço a cada um de vocês por sua presença aqui. Nós os amamos.

© Pamela Kribbe
www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com
www.jeshua.net/por

A MAGIA SOMOS NÓS-12/08/19

Deixe um comentário

(15 de agosto de 2019: Lua Cheia no 23º grau de Aquário. 
Sarah Varcas, 12/08/2019)
Fonte: https://astro-awakenings.co.uk/15th-august-2019-full-moon-i…

A lua estará cheia às 12:30h GMT de 15 de agosto de 2019.

Esta Lua Cheia em Aquário está pronta para derrubar algumas velhas crenças. Com Urano, seu regente, retrógrado desde 11 de agosto e estando agora em quadratura com Mercúrio, ela ilumina o modo de funcionamento da nossa mente e o poder que esta detém. Esta lua nos lembra que não temos que acreditar em um único pensamento ou aceitar qualquer crença, a menos que assim escolhamos. E que devemos fazer nossas escolhas com muito cuidado, pois o que ocupa nossa mente também molda nossa vida. Se, durante esta lua, pudermos simplesmente sentar-nos em silencioso testemunho de todos os nossos meandros mentais, poderemos criar o espaço em torno de nossos pensamentos que nos permita apenas ser: observando-os sem acreditar neles; avaliando-os antes de nos comprometermos com eles.

Costuma-se dizer que “para onde a atenção vai, a energia flui”. Esta lua aperfeiçoa essa afirmação: o que tem poder não é o fato de colocar a atenção em algo, mas a qualidade da atenção aplicada. Se observamos sentimentos dolorosos com uma mente que se alimenta do drama e se identifica com a dor, então, sim, nossa atenção é problemática. Entretanto, se, para questões difíceis, nós levarmos um coração enternecido, uma perspectiva compassiva, paciência, discernimento e um desejo de conhecer nossa verdadeira natureza, não teremos que desviar o olhar do que nos desafia. Em vez disso, poderemos observar essas questões, senti-las, envolve-las com uma percepção compassiva e, assim fazendo, mudar nosso relacionamento com elas.

Criar esse espaço em nossa mente – que é simplesmente uma minúscula célula na vasta consciência coletiva – é semelhante a introduzir ar fresco em um quarto fechado, ou a luz do sol em um espaço escuro. Todos nós acreditamos muito facilmente em todos os movimentos da nossa mente, permitindo que ela governe a nossa vida, não no interesse da verdade, mas daquelas energias das quais ela se alimenta: medo, separação, ansiedade, poder, superioridade. A mente é domínio do ego e, se quisermos equilibrá-lo com o espírito, devemos conhecê-lo intimamente, não simplesmente nos entregar ao seu poder.

Se estivemos nos perguntando por que não podemos nos organizar e fazer algumas mudanças há tanto tempo esperadas, esta lua vai nos revelar como nos mantemos acorrentados, presos a verdades limitadas por uma percepção estreita das coisas, e atolados na autossabotagem. Pode ser um despertar duro, especialmente se a austera luz da lua não revelar circunstâncias externas, mas o nosso próprio eu como obstáculo que mais precisa de atenção. Embora essas revelações sejam uma pílula amarga para se engolir, esta é apenas a primeira etapa – uma cutucada do universo para reconhecermos nosso papel, e não nos culparmos por isso. A autocensura não nos leva a lugar nenhum, portanto, o que quer que venha à luz nesta lua, acolha-o com um coração gentil e amoroso, não com um coração endurecido e autocrítico.

Entretanto, podemos estar distraídos demais para nos assumirmos. Um acúmulo de estresse e ansiedade, desespero ou depressão – até mesmo o tédio de uma vida vivida em preto e branco – podem nos impedir de reconhecer o poder do momento presente e a força alquímica desencadeada quando o vivemos plenamente, sem enganos. Se estivemos investindo muita energia na antecipação de um futuro ideal, onde tudo se encaixa magicamente, precisamos compreender que a magia somos nós, vivendo com propósito, com intenção clara e para o bem maior agora.

Ao se opor a Vênus em Leão, esta lua pode desencadear solidão ou a sensação de ser mal compreendido. Se conseguirmos resistir a levar as coisas para o nível pessoal, este será um grande passo para evitar que esses sentimentos governem nosso dia e que criemos tempestades num copo d’agua! Há uma boa dose de tensão no ar, portanto ser mais tolerantes uns com os outros (e conosco mesmos), é um bom conselho. É também aconselhável que, se possível, evitemos temas que levem a debates acalorados, e nos concentremos em coisas que unam em vez de separar; caso contrário, é bem provável que entremos em uma defesa excessivamente fervorosa do nosso próprio ponto de vista, sem nenhuma consideração pela opinião alheia.

Se, neste momento, estivermos resistentes, lutando contra pressões externas que ameaçam mudar nosso rumo, o discernimento é fundamental. Não podemos nem vivemos separados do mundo e devemos estar sempre atentos ao constante feedback que ocorre entre nós e nosso ambiente. Algumas vezes precisamos nos manter firmes diante de pressões externas. Em outras ocasiões, essas mesmas pressões são toques do divino, lembrando-nos que estamos perdendo nosso rumo, desviando-nos do caminho, ou cegos para algo que não deveríamos ignorar. Se a resistência fortalece e torna mais clara a nossa intenção, ela provavelmente está nos mantendo no caminho certo. Se drena a nossa energia e destrói nossa paz, afastando-nos de ações positivas que poderiam nos trazer mais ânimo e desanuviar nossa mente, é porque provavelmente estamos resistindo àquilo que nos libertará.

Tenha cuidado, também, com a sedução da certeza diante da atual confusão. Ela sempre pode ser apenas um fino verniz sobre uma situação infinitamente complexa, que está muito além do poder de compreensão plena de qualquer pessoa. Saber que não saber não é problema, estar em paz com paradoxos, acolher de coração aberto todas as percepções adquiridas (inclusive se você esteve errado o tempo todo!)…estes são elementos importantes neste momento. Evite a tendência a reagir ao invés de voltar-se para dentro se si. Pode ser mais fácil atribuir nosso estresse às pessoas que nos rodeiam, mas toda vez que nos abrandamos diante de uma tensão, que nos aproximamos do outro em vez de nos afastarmos dele, que buscamos um terreno em comum em vez de um campo de batalha, nós plantamos sementes de uma mente mais tranquila, que consegue separar o joio do trigo e sabe, instintivamente, o que será necessário nos próximos momentos desafiadores.

Urano, o Grande Despertador e regente de Aquário, usa reviravoltas súbitas do destino para nos despertar dos sonhos ilusórios onde presumimos que sabemos quem nós somos. Mas o que chamamos de “destino” geralmente é a nossa própria natureza refletida de volta para nós, e o que nós descobrimos “lá fora” tem suas raízes profundas dentro de nós mesmos. Estando retrógrado neste momento, Netuno está remanejando nosso mundo interno para iluminar essas raízes – estórias que contamos para nós mesmos; crenças que moldaram nossas percepções; dogmas que absorvemos de outros; modelos mentais percebidos como verdade. Estas perspectivas e padrões de crenças, pensamentos, sentimentos e comportamentos são armadilhas que nós, inadvertidamente, colocamos no nosso próprio caminho do despertar.

Nos próximos cinco meses, Urano retrógrado revelará as raízes internas das nossas vidas “predestinadas”, nas quais somos misteriosamente confrontados com as mesmas circunstâncias que nos forçam a recorrer a níveis cada vez mais profundos do Eu. Enquanto esta Lua Nova nos lembra que uma coisa é superar limitações externas, mas somente ao removermos barreiras internas nós seremos verdadeiramente livres.

© Sarah Varcas
Todos os direitos reservados. 
É dada permissão para compartilhar livremente este artigo em sua totalidade, desde que seja dado todo crédito ao autor. E que seja citado o site onde este texto é oferecido gratuitamente: www.astro-awakenings.co.uk.

Tradução de Vera L C Correa
veracorrea46@gmail.com

Imagem: https://i.pinimg.com/…/c8/6f8fc8fba7e5b825373c21053bed9a36.…

A MAGIA SOMOS NÓS
15 de agosto de 2019: Lua Cheia no 23º grau de Aquário. 
Sarah Varcas, 12/08/2019
Fonte: https://astro-awakenings.co.uk/15th-august-2019-full-moon-i…

A lua estará cheia às 12:30h GMT de 15 de agosto de 2019.

Esta Lua Cheia em Aquário está pronta para derrubar algumas velhas crenças. Com Urano, seu regente, retrógrado desde 11 de agosto e estando agora em quadratura com Mercúrio, ela ilumina o modo de funcionamento da nossa mente e o poder que esta detém. Esta lua nos lembra que não temos que acreditar em um único pensamento ou aceitar qualquer crença, a menos que assim escolhamos. E que devemos fazer nossas escolhas com muito cuidado, pois o que ocupa nossa mente também molda nossa vida. Se, durante esta lua, pudermos simplesmente sentar-nos em silencioso testemunho de todos os nossos meandros mentais, poderemos criar o espaço em torno de nossos pensamentos que nos permita apenas ser: observando-os sem acreditar neles; avaliando-os antes de nos comprometermos com eles.

Costuma-se dizer que “para onde a atenção vai, a energia flui”. Esta lua aperfeiçoa essa afirmação: o que tem poder não é o fato de colocar a atenção em algo, mas a qualidade da atenção aplicada. Se observamos sentimentos dolorosos com uma mente que se alimenta do drama e se identifica com a dor, então, sim, nossa atenção é problemática. Entretanto, se, para questões difíceis, nós levarmos um coração enternecido, uma perspectiva compassiva, paciência, discernimento e um desejo de conhecer nossa verdadeira natureza, não teremos que desviar o olhar do que nos desafia. Em vez disso, poderemos observar essas questões, senti-las, envolve-las com uma percepção compassiva e, assim fazendo, mudar nosso relacionamento com elas.

Criar esse espaço em nossa mente – que é simplesmente uma minúscula célula na vasta consciência coletiva – é semelhante a introduzir ar fresco em um quarto fechado, ou a luz do sol em um espaço escuro. Todos nós acreditamos muito facilmente em todos os movimentos da nossa mente, permitindo que ela governe a nossa vida, não no interesse da verdade, mas daquelas energias das quais ela se alimenta: medo, separação, ansiedade, poder, superioridade. A mente é domínio do ego e, se quisermos equilibrá-lo com o espírito, devemos conhecê-lo intimamente, não simplesmente nos entregar ao seu poder.

Se estivemos nos perguntando por que não podemos nos organizar e fazer algumas mudanças há tanto tempo esperadas, esta lua vai nos revelar como nos mantemos acorrentados, presos a verdades limitadas por uma percepção estreita das coisas, e atolados na autossabotagem. Pode ser um despertar duro, especialmente se a austera luz da lua não revelar circunstâncias externas, mas o nosso próprio eu como obstáculo que mais precisa de atenção. Embora essas revelações sejam uma pílula amarga para se engolir, esta é apenas a primeira etapa – uma cutucada do universo para reconhecermos nosso papel, e não nos culparmos por isso. A autocensura não nos leva a lugar nenhum, portanto, o que quer que venha à luz nesta lua, acolha-o com um coração gentil e amoroso, não com um coração endurecido e autocrítico.

Entretanto, podemos estar distraídos demais para nos assumirmos. Um acúmulo de estresse e ansiedade, desespero ou depressão – até mesmo o tédio de uma vida vivida em preto e branco – podem nos impedir de reconhecer o poder do momento presente e a força alquímica desencadeada quando o vivemos plenamente, sem enganos. Se estivemos investindo muita energia na antecipação de um futuro ideal, onde tudo se encaixa magicamente, precisamos compreender que a magia somos nós, vivendo com propósito, com intenção clara e para o bem maior agora.

Ao se opor a Vênus em Leão, esta lua pode desencadear solidão ou a sensação de ser mal compreendido. Se conseguirmos resistir a levar as coisas para o nível pessoal, este será um grande passo para evitar que esses sentimentos governem nosso dia e que criemos tempestades num copo d’agua! Há uma boa dose de tensão no ar, portanto ser mais tolerantes uns com os outros (e conosco mesmos), é um bom conselho. É também aconselhável que, se possível, evitemos temas que levem a debates acalorados, e nos concentremos em coisas que unam em vez de separar; caso contrário, é bem provável que entremos em uma defesa excessivamente fervorosa do nosso próprio ponto de vista, sem nenhuma consideração pela opinião alheia.

Se, neste momento, estivermos resistentes, lutando contra pressões externas que ameaçam mudar nosso rumo, o discernimento é fundamental. Não podemos nem vivemos separados do mundo e devemos estar sempre atentos ao constante feedback que ocorre entre nós e nosso ambiente. Algumas vezes precisamos nos manter firmes diante de pressões externas. Em outras ocasiões, essas mesmas pressões são toques do divino, lembrando-nos que estamos perdendo nosso rumo, desviando-nos do caminho, ou cegos para algo que não deveríamos ignorar. Se a resistência fortalece e torna mais clara a nossa intenção, ela provavelmente está nos mantendo no caminho certo. Se drena a nossa energia e destrói nossa paz, afastando-nos de ações positivas que poderiam nos trazer mais ânimo e desanuviar nossa mente, é porque provavelmente estamos resistindo àquilo que nos libertará.

Tenha cuidado, também, com a sedução da certeza diante da atual confusão. Ela sempre pode ser apenas um fino verniz sobre uma situação infinitamente complexa, que está muito além do poder de compreensão plena de qualquer pessoa. Saber que não saber não é problema, estar em paz com paradoxos, acolher de coração aberto todas as percepções adquiridas (inclusive se você esteve errado o tempo todo!)…estes são elementos importantes neste momento. Evite a tendência a reagir ao invés de voltar-se para dentro se si. Pode ser mais fácil atribuir nosso estresse às pessoas que nos rodeiam, mas toda vez que nos abrandamos diante de uma tensão, que nos aproximamos do outro em vez de nos afastarmos dele, que buscamos um terreno em comum em vez de um campo de batalha, nós plantamos sementes de uma mente mais tranquila, que consegue separar o joio do trigo e sabe, instintivamente, o que será necessário nos próximos momentos desafiadores.

Urano, o Grande Despertador e regente de Aquário, usa reviravoltas súbitas do destino para nos despertar dos sonhos ilusórios onde presumimos que sabemos quem nós somos. Mas o que chamamos de “destino” geralmente é a nossa própria natureza refletida de volta para nós, e o que nós descobrimos “lá fora” tem suas raízes profundas dentro de nós mesmos. Estando retrógrado neste momento, Netuno está remanejando nosso mundo interno para iluminar essas raízes – estórias que contamos para nós mesmos; crenças que moldaram nossas percepções; dogmas que absorvemos de outros; modelos mentais percebidos como verdade. Estas perspectivas e padrões de crenças, pensamentos, sentimentos e comportamentos são armadilhas que nós, inadvertidamente, colocamos no nosso próprio caminho do despertar.

Nos próximos cinco meses, Urano retrógrado revelará as raízes internas das nossas vidas “predestinadas”, nas quais somos misteriosamente confrontados com as mesmas circunstâncias que nos forçam a recorrer a níveis cada vez mais profundos do Eu. Enquanto esta Lua Nova nos lembra que uma coisa é superar limitações externas, mas somente ao removermos barreiras internas nós seremos verdadeiramente livres.

© Sarah Varcas
Todos os direitos reservados. 
É dada permissão para compartilhar livremente este artigo em sua totalidade, desde que seja dado todo crédito ao autor. E que seja citado o site onde este texto é oferecido gratuitamente: www.astro-awakenings.co.uk.

Tradução de Vera L C Correa
veracorrea46@gmail.com

Imagem: https://i.pinimg.com/…/c8/6f8fc8fba7e5b825373c21053bed9a36.…