O HUMANO FERIDO

Deixe um comentário

(Maria Madalena através de Pamela Kribbe)
Fonte: http://www.jeshua.net/home/home17.htm

Queridos amigos de luz, eu sou Maria Madalena.

Conheço vocês – conheço seu caminho – sei quem vocês são. Nós estamos profundamente conectados uns com os outros; nossos vínculos vêm de muitos séculos. Estamos ligados como uma grande família, e essa ligação não é da mente, mas através do coração. Ela não passa pelo conhecimento pessoal uns dos outros; é muito mais profunda do que isso. Existe uma energia de grupo que nos conecta – nós somos uma família. 

Vocês estão vivendo em uma época muito significativa. Vocês já estiveram aqui na Terra inúmeras vezes e passaram por muitas coisas em todas essas vidas humanas. O que está acelerando agora o desenvolvimento de seus corações é que, nesta época, a mudança de consciência está ficando mais ancorada na Terra e mais viva no coração e alma das pessoas. No coração de cada um de vocês vive uma esperança, um desejo e, inclusive, a lembrança de uma promessa que trazem consigo há muitas vidas.

Você quer trazer para a Terra uma consciência nascida do coração e, através desse processo, você também começa a florescer. Você quer se conectar com a sua alma enquanto está na Terra; quer deixar sua luz brilhar para tornar-se um ser humano livre do medo, um ser humano que ouse assumir totalmente sua luz própria. Deste modo, você também ilumina o mundo; sua luz tem um efeito encorajador e inspirador sobre os outros. 

Mas, seu primeiro passo – e o maior deles – é reconhecer a luz dentro de si mesmo e conectar-se com sua alma. Este é um passo que exige toda a sua atenção e devoção. Todos vocês que estão ligados a mim são incentivados a seguir este caminho, a conectar-se com sua alma, sua origem divina, e, a partir daí, viver uma vida inspirada. Isto está ficando cada vez mais possível na Terra. A vibração da atmosfera da Terra está mudando. Embora ainda prevaleça muita discórdia e caos, e ainda haja muita dor emocional e confusão em várias pessoas, as sementes do novo já foram semeadas – e vocês são estas sementes. 

Você já escolheu – você quer seguir a voz do seu coração, a voz de sua alma. Mas, geralmente, antes de conseguir fazer isto, antes de conseguir experimentar a alegria da verdadeira liberdade, você encontra antigos bloqueios, partes pesadas de si mesmo que bloqueiam temporariamente a visão da sua própria luz. 

Se você vive em um corpo de mulher, é provável que esses bloqueios tenham a ver com a dor coletiva feminina; com tudo que a psique feminina vivenciou em muitos séculos anteriores e ainda está vivenciando hoje. Ainda existem lugares na Terra, nos quais a energia feminina não é respeitada e é até suprimida com violência. Ao encarnar como mulher, você se reconecta com essa história, com essa energia do passado, na qual você também participou em várias vidas. A intenção é experimentar novamente essa energia para poder curá-la, curando-se primeiro a partir de dentro de si mesma.

Fundamentalmente, tudo se resume no fato de que as mulheres adquiriram, do passado, um profundo sentimento de desmerecimento. Durante muito tempo, elas foram consistentemente vistas como cidadãs de segunda classe, como pessoas de menor valor. Por não conseguirem se ajustar ao modo masculino de pensar, elas foram consideradas o sexo fraco. Entretanto, o verdadeiro talento delas se encontra no campo da intuição e capacidade de conectar-se, na capacidade de perceber profundamente o âmago das coisas, mas sua empatia foi rejeitada e reduzida à ideia de que as mulheres eram emocionais, impulsivas e incapazes de considerar as coisas racionalmente. 

Tanto nos ensinamentos religiosos, quanto em muitos pontos de vista filosóficos, as mulheres foram aviltadas. E isto aconteceu, é claro, não apenas com palavras, mas também com atos – houve tanta violência sexual, que isto afetou as mulheres profundamente. Quando uma pessoa é danificada em sua sexualidade – humilhada, degradada – isto deixa marcas profundas em sua mente e corpo emocional. 

Assim, podemos falar de um ferimento coletivo na consciência feminina, uma sensação de impotência e, como eu disse, um sentimento de inferioridade, ou de indignidade e desmerecimento. Quero encorajá-la a olhar para esse ferimento com a maior compaixão possível. Existe tristeza em você, como em todas as mulheres; e há também raiva e ressentimento. Somente com um olhar compassivo para si mesma, você pode penetrar no âmago da dor e, ao mesmo tempo, no centro do seu poder. 

Quer você seja mulher ou homem, quero incentivá-lo a voltar sua atenção para a área do seu abdome… sua respiração pode ajudá-lo a fazer isso. Ao respirar conscientemente pelo abdome, você automaticamente leva sua atenção para baixo. Preencha seu abdome com uma consciência delicada. Imagine que seu abdome está repleto da sua luz. Atenção delicada é nada além de luz, abertura, acolhimento, dizer “sim”…

Verifique em que área do seu abdome vive uma mulher ferida. E eu encorajo tanto as mulheres quanto os homens a fazer isto. É possível que você veja a imagem de uma mulher ferida, embora possa aparecer uma imagem diferente que aponte, indiretamente, para a mesma coisa. Por exemplo, em muitas pessoas – tanto homens quanto mulheres – existe uma falta de consciência a respeito da sua própria energia feminina; da sua sensibilidade, intuição, capacidade de perceber e sentir. Vocês geralmente descartam essa capacidade, vocês se adaptam ao modo de pensar mais masculino, que está à sua volta, e assim se afastam de uma fonte profunda de sabedoria. 

Peço a cada um de vocês que estenda, agora, uma das mãos para a mulher ferida que há em seu interior, embora ela também possa aparecer como uma menina. Imagine que você a chama para si e que a fita nos olhos. E como você acolhe totalmente quem ela é, ela se sente vista e já parcialmente curada. Inspire luz para dentro dela; saiba que ela carrega fardos que são muito mais antigos do que esta vida. Você teve vidas passadas, você faz parte da humanidade e, devido a isto, tem também algumas de suas energias coletivas dentro de si. É importante que a mulher ferida em seu interior veja você e sinta sua presença.

Mas, quem é você, então? Você é a sua alma, e como alma, está diretamente ligada a Deus, à Fonte, à Origem. Nada é tão poderoso quanto a presença da sua alma. O acúmulo de dor e sofrimento no passado pode parecer grande, entretanto não consegue suportar a luz viva do presente. Encha-se de confiança – você pode curar a si mesmo. Leve luz à área do seu abdome e sinta o poder da sua mulher interior, sua sabedoria, seu amor, seu conhecimento interior. Ela tem permissão para ser; ela é bem-vinda na Terra, portanto acolha-a. E ofereça-lhe algo belo… uma flor, ou outro presente que lhe venha à mente. 

Agora peço-lhe que dê um descanso para esta imagem feminina, de modo que possamos ir para a outra polaridade – a energia masculina. No passado, a energia feminina foi degradada, mal compreendida, e isto também afetou os homens em seu ser. Geralmente lhes era exigido o desenvolvimento de uma energia masculina unilateral, bidimensional, voltada para o controle de si mesmos, da vida e, eventualmente, dos outros. Eles estavam mais ou menos separados de seus corações, de seus sentimentos. Como homem, você tinha que ser forte e poderoso e seguir as ideias e regras existentes.

Quantos homens morreram em campos de batalha nas guerras intermináveis que ocorreram? Essas guerras geralmente eram iniciadas pela luta entre os homens pelo poder masculino. Mas entre essas vítimas, havia homens sensíveis, inclusive gays, que não conseguiam encontrar em si a imagem masculina convencional que existiu por tanto tempo. Assim, os homens foram profundamente feridos em sua capacidade de amar intensamente, de ser autênticos, vulneráveis, abertos – o que é uma condição para a verdadeira intimidade nos relacionamentos. E essa capacidade foi desencorajada. Portanto, os homens também foram vítimas dessa história dolorosa, que tem tudo a ver com controle e domínio. 

Mas, de onde vem essa necessidade? Vem do medo, da falta de amor. Ela se tornou uma energia masculina fugitiva, que perdeu a conexão com o Um. O medo aterrorizou ambos os sexos. Mas nos dias de hoje, algo está mudando. Há um anseio, tanto nos homens quanto nas mulheres, por autenticidade nos relacionamentos, por conexão profunda. 

Agora peço a cada um de vocês que se conecte com a energia masculina em seu interior e veja se consegue encontrar, em seu coração, um homem ou menino ferido, que reflita a sua própria energia masculina. Esse homem foi isolado na área do coração. O que se aplica aqui às mulheres é que, para elas, ficou cada vez mais difícil aceitar sua própria energia masculina, porque a associavam com uma energia paternalista, misógina. 

Mas saibam que a energia masculina, em sua forma verdadeira, é tão amorosa quanto a energia feminina. Especificamente, no caso da mulher, a verdadeira energia masculina pode lhe dar força. Portanto, curar a energia masculina interior não é importante apenas para os homens, mas também para as mulheres. Veja se você consegue estender sua mão para a sua própria energia masculina e fita-la diretamente em seus olhos. 

Nesta época, está se desenvolvendo, no coração de muitas pessoas, uma sensibilidade cada vez maior ao sofrimento que se vê em todo o mundo. Há, inclusive, um desejo de conexão consigo mesmo, mais intenso do que antes, e um anseio por relacionamentos autênticos com outras pessoas. E é precisamente aqui, na realização deste desejo, que você encontra o homem ferido e a mulher ferida dentro de si mesmo. É nos relacionamentos, especialmente, que este ferimento pode levar a mal-entendidos. 

É importante que cada um de vocês perceba que carrega, dentro de si, uma fonte de abundância. Você possui as energias masculina e feminina, e pode curar ambas. Você é completo – você é inteiro. Mesmo que traga os fardos do passado, ainda existe uma força inesgotável dentro de você – um poder suave, uma força corajosa. Abrace o homem interior e a mulher interior que você viu, e acolha-os dentro de si. Veja os dois como figuras radiantes, curadas e em harmonia uma com a outra. 

Como mulher, esteja consciente da sua autoestima e da sua autoconsciência. Como homem, sinta o calor e o amor em seu coração. Vocês são os trabalhadores da Luz desta Terra. Vocês trazem Luz para uma velha história de dor… vocês trazem a Luz de volta com suas energias masculina e feminina. Sejam gentis consigo mesmos; dediquem um tempo para curar suas feridas. Experimentem o poder que vocês têm de fazer isto a partir da sua fonte divina. Quando sentirem o gosto dessa abundância dentro de si, todos os seus relacionamentos ficarão mais fáceis, mais suaves e mais amorosos. 

Eu saúdo todos vocês do fundo do meu coração. Muito obrigada pela sua presença!

© Pamela Kribbe www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com.    
www.jeshua.net/por
Direitos autorais © Jeshua.net
É permitido copiar e redistribuir este artigo, desde que seja incluído o URL www.jeshua.net como fonte, e que seja distribuído gratuitamente.