IMAGINE QUE…

Deixe um comentário

A ASTROLOGIA DE 2020: PARTE 2
Sarah Varcas, 23/03/2020
FONTE: https://astro-awakenings.co.uk/the-astrology-of-2020-part-2
OBS: Todas as datas estão em UTC

Não é preciso dizer que estamos vivendo tempos difíceis. O medo predomina, há isolamento em todo lugar, e as abundantes informações e opiniões contraditórias esclarecem num momento, para confundir no momento seguinte. As comunidades estão “em confinamento” (com que facilidade esse termo se tornou uma expressão cotidiana!) e ninguém sabe exatamente o que acontecerá a seguir. A inquietação é cada vez maior e mais intensa. Há algo de muito errado em nosso mundo, que supera a aparente ameaça de doença física. Há muito que a retificação se faz necessária neste planeta, e, estranhamente, o próprio estado de coisas atual está providenciando-a. Os rios estão ficando mais claros; o ar está mais limpo; o canto dos pássaros está sendo ouvido nas cidades, onde geralmente era abafado pelo ruído de motores e máquinas. Mãe Natureza continua seus afazeres como de costume, enquanto a raça humana se tranca e se isola. A Natureza está se beneficiando com a nosso afastamento em massa. Isto nos diz algo que não podemos ignorar por nem mais um segundo sequer! Nós somos um vírus neste planeta, há muito tempo, e devemos nos curar antes que seja tarde demais.

A PAUSA

Apesar das primeiras impressões, estamos vivendo um momento de oportunidades, de mudanças fundamentais e irreversíveis. As coisas nem sempre são exatamente o que parecem ser, nem tão evidentes quanto parecem à primeira vista. Verdades estão surgindo, junto com o medo; assim como a compaixão, a inovação e um senso mais profundo de comunidade, à medida que uma imobilidade aglutinante se espalha por todo o mundo. O botão de pausa foi pressionado. Estamos sendo redefinidos. Imaginem se isto fizer de 2020 o ano em que a raça humana reconheceu tão profundamente sua força destrutiva neste planeta que, coletivamente, jurou mudar aqui, agora, e interromper essa marcha interminável para a destruição! Imaginem que a única coisa necessária para isso tenha sido esta pausa global que nos fez tomar consciência e abriu todos os olhos….

A atividade planetária atual certamente fala do potencial para grandes desafios e cura profunda em igual medida. A verdade surge como uma bolha, estilhaçando a superfície endurecida da complacência ou negação. Ninguém esperava chegar onde estamos tão rapidamente. É claro que muitos temem por sua própria vida ou pela vida de seus entes queridos no momento, mas em meio a este pânico planetário, todos os esforços para manter o espaço coletivo e manter a clareza contribuem com vibrações mais calmas para a energia global. Cada momento de paz ajuda a reequilibrar os pratos da balança coletiva.

O medo também é um vírus; e um vírus altamente contagioso! Não precisamos sequer estar fisicamente próximos para contrai-lo! Ele é transmitido através das ondas de ar e da internet, dos telefones e mensagens de texto e vídeo, da TV e do rádio. E é difícil criar imunidade a ele. Parece que, quanto mais expostos estivermos a ele, mais medrosos nos tornamos. Por isto é importante cuidarmos mais de nós mesmos e uns dos outros agora; sermos amáveis e bondosos, termos consideração por aqueles que mais sofrem. Para alguns, o isolamento é uma panaceia que cria sentimentos de segurança. Para outros, uma ameaça existencial a uma frágil estabilidade sustentada pela natureza básica das conexões sociais, agora rompida em meio a um clima de incerteza e medo.

A SOLUÇÃO

Todos nós fazemos parte da causa e da solução. Os múltiplos aspectos do nosso mundo estão tão entrelaçados, que não é possível colocarmo-nos à parte e alegarmos a não participação em sua estrutura. Netuno, ainda viajando pelo seu próprio signo, Peixes, nos lembra que cada um de nós surge e retorna à mesma fonte. Envolvemos nossa presença com nosso corpo e mente, coração e alma, e a chamamos de ‘eu’. Sentimo-nos como indivíduos – o que de fato somos, em um nível relativo – mas, no nível absoluto, somos simplesmente partes de um todo, cada um de nós moldado de maneira única para desempenhar seu papel específico. Refletir sobre essa interconexão é vital agora, para combater qualquer movimento em direção à polarização, à mentalidade “salve-se quem puder” ou a alarmante abordagem de “cada um por si” que esvaziou as prateleiras das lojas e deixou os mais vulneráveis lutando para sobreviver.

Mas com Júpiter prestes a entrar em conjunção com Plutão (5 de abril de 2020), ambos em quadratura com Eris, o momento nunca foi tão poderoso e propício para transformar um colapso em progresso, ou uma tragédia em triunfo. Diferentemente da conjunção única entre Saturno e Plutão em janeiro de 2020, esta ocorrerá três vezes neste ano (sendo as duas próximas em 30 de junho e 12 de novembro de 2020), refletindo um processo mais longo de ajuste e recalibração do que a mudança repentina de janeiro. Tendo chegado rapidamente ao novo terreno de Saturno/Plutão, estamos agora no processo de orientação, descobrindo como as coisas funcionam neste estranho mundo novo e quanto podemos influenciar a sua formação futura.

Júpiter nos fala de aprender através da experiência, de descobrir as maiores verdades desta vida, vivendo-a com um coração aberto e uma mente condizente. Ele nos lembra que sempre há mais para saber, experimentar e se admirar. Júpiter nos mantém sempre em expansão, incentivando-nos a explorar além da nossa zona de conforto e abraçar o que encontramos lá. Não é de se admirar, portanto, que, enquanto Júpiter está em conjunção com Plutão – Senhor do Mundo Inferior – a maioria das pessoas se sente empurrada, em algum grau, para fora de sua zona de segurança pessoal!

O PODER

A atual aliança entre Júpiter e Plutão dá início a um processo de treze anos de revelação, tanto dos aspectos mais obscuros da sombra da humanidade, quanto das energias mais transformadoras disponíveis. Em Capricórnio, ela afirma que a autoconfiança pragmática é fundamental para a nossa jornada adiante, enquanto o Nódulo Norte, ainda em Câncer, nos lembra que todos somos parte do Eu Único, dependentes uns dos outros também. O que fazemos pelos outros, fazemos por nós mesmos. Nem Júpiter nem Plutão sonhariam em abrir mão de seu poder. E nós também não devemos abrir mão do nosso – especialmente em favor do medo! Isto não é o mesmo que negá-lo ou suprimi-lo. Podemos conhecer nossos sentimentos sem dar a eles a palavra final sobre como nos comportamos e sobre as escolhas que fazemos. Júpiter e Plutão nos convidam a descobrir como podemos ser expansivos em relação ao medo, e como podemos tornar-nos vastos, dando-lhe espaço para ficar, mas sem que defina tudo o que somos.

Nós todos podemos fazer isso. Mas não conseguimos fazê-lo sozinhos. Não devemos deixar que o isolamento nos deteriore, levando-nos ao medo, à recriminação, à culpa e acusação. Isolamento é um comportamento não um estado de ser. Todos nós estamos tentando superar esta situação da melhor maneira possível, e alguns podem cometer enganos. Haverá diferenças de opinião sobre o que é necessário, o que está acontecendo e o que fazer a respeito disso. Ainda assim, somos um e podemos dar as mãos em espírito, mesmo não podendo fazê-lo fisicamente! Corações abertos e mentes expansivas podem nos preparar para acolher novas possibilidades, em vez de nos imobilizarmos no medo.

Marte e Saturno estão em conjunção em Aquário, ambos em trígono com Vênus na primeira conjunção Júpiter/Saturno. Aqui vemos o potencial para inovação – uma oportunidade para gerar ideias sadias e sólidas que nos tirem deste momento de medo. Se você estiver preso em casa, talvez seja a hora de escrever aquele livro que sempre disse que escreveria; trabalhar naquela invenção que tem ficado eternamente para o futuro; criar um novo plano de trabalho; repensar a sua carreira, escrever poesia, pintar, dançar, inventar algumas anedotas novas, redigir cartas à mão, fazer limpeza na casa, revolver a terra do jardim… Ou simplesmente passar tempo consigo mesmo, na quietude do isolamento, ouvindo a voz interior baixa e silenciosa, tantas vezes abafada nos dias de hoje.

A RENOVAÇÃO

Este momento nos torna místicos, recolhendo-nos ao nosso mundo interior enquanto nos afastamos do exterior. Quem sabe o que nos será revelado, se nos permitirmos acomodar na quietude e silêncio? Que pérolas de sabedoria nos esperam nas bordas da percepção, para um tempo como este? Júpiter e Plutão têm tanto a nos revelar neste ano… grande sabedoria, verdade profunda e potencial incrível! Não devemos deixar que a narrativa do medo afogue essas preciosidades, ou nos cegue para a possibilidade pura de cada momento. E lembremo-nos que o medo também pode ser um professor sábio, se o permitirmos.

A conjunção entre Marte e Saturno em Aquário nos diz para segurarmos nossos nervos e nos mantermos fortes. Quando este momento passar, precisaremos de uma perspectiva nova e ousada, para seguirmos adiante a partir deste ponto, e não um retorno ao antigo modo de vida. Só podemos seguir em frente! Não há nenhuma outra direção agora! O mundo mudou em um piscar de olhos, mas nós somos a verdadeira mudança, aguardando em nossas asas, como lagartas em suas crisálidas. Enquanto o mundo se recolhe, nós nos dissolvemos em nossas câmaras de isolamento, aguardando para ressurgir no momento certo. Júpiter e Plutão dizem que pode demorar um pouco até que consigamos estender nossas asas, mas quando o fizermos… Oh, meu Deus!!! Que bela imagem será!…

Sarah Varcas
Copyright © 2020 Awakenings. Todos os direitos reservados.

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.