POR ONDE ANDA A INTEGRIDADE? – 21/07/19

Deixe um comentário

(Ivete Adavaí)

“Faça a coisa certa, mesmo quando ninguém está observando. Isso se chama integridade”

Sabemos que existem os Trabalhadores da Luz, os Sinalizadores do Caminho, os Guerreiros da Luz e uma diversidade de grupos que se fazem conhecer por este ou aquele nome. No entanto, quero registrar aqui mais um: Os Trapaceiros da Nova Era. Já são conhecidos de muitos e eu já fiz algumas denúncias neste blog para que as pessoas se conscientizem disso.

Sinto-me na obrigação de registrar aqui mais uma classe de enganadores que está cada vez mais surgindo em nosso meio com a finalidade de ‘copiar e colar’ canalizações alheias. Aqui não falo de traduções, que isso já passou a ser uma prática corriqueira nas mãos de pessoas que se dizem candidatos a viverem na quinta dimensão, estou me referindo às próprias canalizações.

Parece que muitos agora acreditam que podem burlar, fazendo-se passar por canalizadores, enquanto copiam e colam mensagens de canalizadores consagrados pelo tempo e pela correção de suas canalizações. Ousam fazer isso com a própria Ronna Vezane, que com seus 91 anos de idade, vem canalizando o Arcanjo Miguel há décadas. Ela denunciou por esses dias um certo cidadão que parecia fazer gracinhas com uma postagem dela, ao que ela se contrapôs denunciando-o por assinar uma mensagem que ela canalizou, citando inclusive a data.

Ontem, eu estava ouvindo algumas mensagens no YouTube e eis que me pareceu muito familiar o conteúdo ali falado. Identifiquei como sendo uma recente mensagem de Celia Fenn, de 8 p.p. Peguei a tradução que eu mesma fiz e comecei a acompanhar a “canalização dos Pleiadianos”, e qual não foi a minha surpresa ao constatar que era exatamente o mesmo conteúdo. Não se deram ao trabalho nem de modificar, sintetizar ou incluir algo, simplesmente leram a canalização dessa canalizadora, e no final registraram a autoria de Fulano de Tal, como sendo o canalizador.

Todos nós sabemos a importância do que se diz  acerca do reto falar, reto pensar, reto agir e mais outras advertências para quem quer seguir um caminho diferenciado em direção à ascensão, mas o que me causa espanto é o fato de pessoas que devem se considerar na fila para acompanhar o movimento ascensional, se enveredar por um caminho tortuoso e ainda achar, certamente, que não terão qualquer ônus contra si mesmos.

Pergunto: O que se passa na mente de alguém que se apropria de canalizações  alheias e as publicam em um veículo tão difundido quanto o YouTube? Como fica a questão do reto agir, reto falar, reto pensar? O que alguém que faz disso um meio de vida pode esperar quanto a conviver em paz, união, solidariedade, honestidade e justiça com os demais habitantes da Terra de quinta dimensão? Será que acredita que poderá passar disfarçado, trapaceando as leis cósmicas, porque isso é comum na realidade tridimensional? Apenas constatando, quem ainda está nesse nível de consciência poderia almejar habitar uma Terra purificada e justa? Qual a diferença de se agir assim e ser um político corrupto? Em que difere tal atitude daquela de um batedor de carteira, de um sonegador consciente de impostos, de um ladrão de banco, de quem burla as leis desde que não tenha ninguém vendo? E aí, é  desse tipo de pessoas que a Nova Terra será constituída? Eu sinceramente não gostaria de conviver em um mundo assim, até porque anseio viver em um mundo em que a integridade seja a palavra de ordem e que seja diferente disso que temos agora na velha Terra.

Bem, talvez possamos dizer que escapamos de um holocausto mundial, de um Armagedom anunciado, mas ainda estamos à mercê de mentes e corações pouco afeitos ao que é correto e justo. Isso também conta para quem quer se candidatar a viver em um novo mundo, porque aqui vale dizer que não bastam as boas intenções em querer transmitir um conteúdo digno e útil de ser lido ou ouvido, mas a integridade de quem produziu, de quem recebeu a informação e não simplesmente a pessoa querer surfar a onda da moda, que é contatar seres intergalácticos e dizer que os estão canalizando, quando na verdade se trata de mensagens já consagradas de canalizadores que não têm nem como saber que as suas canalizações estão sendo usurpadas, porque são  utilizadas em outra língua e em outro país. Mesmo que Celia Fenn, Ronna Vezane e outros canalizadores não venham sequer a saber do que ocorre com o fruto do seu trabalho, onde fica a integridade do “canalizador” que se apropriou do trabalho alheio? Permita-me um desabafo: é muita cara de pau agir assim e ainda pensar que está fazendo a coisa certa, somente porque a maioria não se dá conta desse seu procedimento. Mesmo que ninguém conseguisse verificar essa trapaça, onde fica a consciência de uma pessoa dessas? Em que nível consciencial se encontra, ao achar que tudo vale para aproveitar a ‘moda’ e a sede de informações dos egos insaciáveis? Não gostaria de estar fazendo esta denúncia, mas eu não tenho opção, sinto-me responsável em falar a verdade doa a quem doer, porque eu busco a integridade não só para mim como também para todos e não me agrada observar que muitos estão sendo ludibriados por gente inescrupulosa.

Neste momento máximo de transição planetária em que estamos vivendo, não é demais acentuar a necessidade de ter discernimento e clareza para não seguir pessoas que se fazem passar por canalizadores, quando na verdade são simplesmente máquinas xerox e compiladores de textos alheios. Todo cuidado é pouco. O menos é mais, a qualidade vale mais que a quantidade. E que a verdade prevaleça sobre todas as coisas e sobre todas as pessoas, e que sejamos íntegros em TUDO.

 Ivete Adavaí

adavai@me.comwww.adavai.wordpress.com  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.