DOIS MEDOS PROFUNDOS

Deixe um comentário

(Mensagem de Maria Madalena, através de Pamela Kribbe)

Fonte: http://www.jeshua.net/gate/gate24.htm

Eu sou Maria Madalena e ajoelho-me diante de vocês, com admiração e respeito pelo que estão fazendo na Terra. Vocês estão abrindo novos caminhos de consciência e estão fazendo isto enquanto ainda carregam os pesos do passado dentro de si. Antigos sofrimentos e ansiedades vêm à tona exatamente porque novos modos de consciência estão se infiltrando em sua percepção, seu corpo e suas emoções. Na criação real de novos caminhos de consciência, vocês curam a antiga dor.

Parece que isto deveria ter acontecido no passado… vocês estiveram na Terra tantas vezes antes… mas até agora não era possível criar novos caminhos. Ainda havia muita consciência presa às velhas instituições de poder e autoridade, e as pessoas estavam aprisionadas pelo medo de não conseguir sobreviver, pela ansiedade no plano físico, ou pelo medo de ser socialmente condenadas ao ostracismo.

 Estes medos são muito profundos nas pessoas. Se você não sabe quem você é, se está imerso nas estruturas de inconsciência que é mantida pela sociedade, então você acredita que é seu corpo, e o medo pela sobrevivência atinge-o no mais profundo do seu ser, pois, neste caso, morrer significa ser destruído. Surgem, então, impulsos intensos para resistir e estes podem levá-lo a destruir outra pessoa, se for necessário, para assegurar sua própria sobrevivência. Este é um medo básico primitivo.

E há também o medo de ser banido da sociedade, de não poder mais pertencer ao grupo, que também é um medo muito profundo nas pessoas.

Se você não está consciente do seu eu-alma, da sua essência divina, você pensa que é um corpo, e que é uma personalidade socialmente moldada nesse corpo. A personalidade, que é formada pelas influências sociais do passado, foi e ainda está sendo moldada pelo medo. Você quer pertencer ao grupo; quer ser aceito por outras pessoas. Existe uma parte indefesa em você que deseja ser sustentada, aprovada e acolhida. Esta é a parte sua que deseja pertencer, e ela ainda é muito forte em todas as pessoas.

Você acaba de emergir de um modo de pensar e viver que era dominado pelo poder e a impotência, que estava sob o domínio do medo. Sinta em si mesmo, no seu próprio campo energético, onde essas antigas energias ainda estão agindo. Sinta isto intuitivamente. Observe se existem áreas cinzentas, ou até mais escuras, agindo visivelmente na sua aura ou no seu corpo. Perceba a ação dessas velhas energias, como ansiedade, obediência exagerada, medo pela sobrevivência e medo de ser rejeitado e ficar só. Estes são os dois maiores medos que limitavam as pessoas no passado.

A transição para o novo leva tempo. Você pode muito bem imaginar que há muito trabalho a ser feito para abandonar antigos medos, para chegar a confiar realmente na consciência do coração, numa nova consciência que afirma que você não é apenas seu corpo. Seu corpo faz parte de você, é uma parte preciosa na qual você vive temporariamente e através da qual você se expressa. Mas você é muito mais do que isso. Você é uma consciência de alma, uma luz viva, que é independente de formas físicas e materiais. Isto é um grande salto de consciência! E talvez um salto maior ainda seja o fato de você estar livre da pressão social. Porque a pressão social – ter que pertencer ao grupo – muitas vezes leva as pessoas ao nível vibratório mais baixo: a consciência de multidão. Geralmente aquilo que domina um grupo ou uma multidão, uma estrutura de poder ou um indivíduo, evoca os maiores medos nas pessoas e as manipula.

 Estes medos são os dois maiores obstáculos que as pessoas experimentaram no passado. E graças a esses medos, elas descem ao espaço do “nós”, do pertencimento, opondo-se a outras pessoas ou coisas que estejam fora do seu grupo. E assim começam a pensar em termos de “nós contra eles”, de forma que pertencer ao grupo se torna algo vital. O medo, então, precisa ser sempre confirmado, junto com as justificadas soluções para ele. O modo de lidar com esses medos inclui violência e domínio daqueles que estão fora do grupo. Estes temas estão vindo à superfície com muita força neste momento, como se pode ver no mundo à sua volta.

 Uma consciência maior é necessária agora, uma consciência que conecte e enxergue a igualdade entre todas as pessoas, mesmo que venham de ambientes totalmente diferentes, com histórias e culturas diferentes; uma consciência que enxergue no outro o que vocês têm em comum, mesmo que ele seja muito diferente de você. Esta é a tarefa deste momento, tanto no nível individual, interior, quanto entre países e culturas. Esta é a grande quebra de barreiras que vai curar o mundo. E o maior passo para essa cura é abandonar a identificação com seu corpo e com sua personalidade socialmente formada; é elevar-se acima dessas identificações e novamente reconhecer o chamado da sua alma. Sua alma lhe diz que tudo é possível, enquanto o medo em você insinua que muito pouco é possível, que você precisa se proteger, por exemplo, dos outros, ou de doenças… Mas a alma que vive em você é corajosa e forte, ela transcende as limitações.

 Gostaria de lhe dizer que você – a pessoa com quem estou falando agora – já vem ajudando a aumentar a consciência na Terra há muitas vidas e há bastante tempo. Antes desta vida, você já experimentou a sensação de unidade da qual eu falo, o fato de ser mais do que um corpo, a sensação de ser uno com outro, mesmo que o outro venha de uma experiência muito diferente da sua. Você já conhece o sentimento de querer se elevar acima de classe e posição social, embora esta energia nem sempre tenha sido bem-vinda na Terra. Foi um processo de aprendizagem ter que lidar com a diferença entre sua forma de sentir e pensar e a forma de sentir e pensar do mundo ao seu redor, ou com o modo que a maioria das pessoas percebe as coisas. E não se esqueça que muitas pessoas gostariam de pensar de outra forma, gostariam de sentir de forma diferente, porque ninguém é feliz nas garras do medo, ninguém deseja isso.

O que está acontecendo nesta época, é que as pessoas estão ficando cada vez mais fartas da vida baseada no medo. Existe agora tanta energia nova na atmosfera da Terra – uma sensação tão intensa da possibilidade das coisas serem diferentes – que as pessoas estão despertando. E certamente os jovens, as novas gerações que estão nascendo na Terra, estão sentindo mais e mais o gosto desta nova energia que você vem carregando consigo há séculos, e sentem cada vez menos prazer nas velhas formas de ser e viver. Mas, do ponto de vista dos padrões de pensamento existentes, esta energia da nova geração é algo selvagem, caótico, que não se adapta às normas estabelecidas e leva a problemas de comportamento. Entretanto, esta energia contém as “dores do parto”; algo novo está querendo nascer.

 Chego agora ao ponto principal desta conversa. Você está aqui como um mentor, para servir de parteira no nascimento desta nova energia, neste momento. Entretanto, isto exige muito de você, porque você ainda traz dentro de si os traumas de maus julgamentos e rejeição; você sabe o que é ser julgado por suas ideias inovadoras. Parte do seu legado é ser socialmente isolado, ser diferente, e isto vem deixando ferimentos emocionais em você, desde o dia em que você nasceu… na verdade, antes mesmo desta sua vida ter começado. 

 Este é o momento em que lhe será pedido para sair da sua concha, para se mostrar, se apresentar, a fim de ajudar a nova energia que se manifesta agora especialmente através dos jovens, e orientá-los, por assim dizer. Você pode ser um canal, porque tem um entendimento profundo tanto do antigo quanto do novo. Você conserva uma perna na velha energia, pela qual foi ferido, portanto é capaz de ter compaixão pelas pessoas que estão com medo de serem rejeitadas e ficarem sós. Você também tem compaixão pelas pessoas que estão aterrorizadas de morrer, por acreditarem que não existe nada além do corpo físico. Sua consciência expandiu-se justamente porque você teve que viver e trabalhar no escuro, portanto você é um dos que podem ser uma ponte entre o velho e o novo.

 Assim, apelo a você. Peço-lhe que assuma seu lugar natural, embora eu saiba o quanto este esforço pode lhe custar. Você ficou tão acostumado a pensar que não existe nenhum lugar para você, que se sente totalmente desgastado pelo esforço. Mas é justamente neste ponto que você é levado a realizar sua tarefa. No momento em que pensa: “Eu desisto, não há mais nada que eu possa fazer…”, este se torna o ponto de virada, quando você consegue finalmente permitir que qualquer coisa que aconteça possa fluir através de si. Você deixa de lado sua vontade pessoal, suas ideias de como as coisas deveriam ser, e se permite mover com o fluxo da sua alma.

O poder que você desenvolveu, e também a dor que sofreu, de alguma forma quebraram o seu ego. E isto é um processo doloroso, pois todo ego é contrário à dor e a ser despedaçado. Entretanto, este é o único meio, porque, num certo sentido, a dor e o trauma que você carrega consigo fazem parte do caminho. Quando você realmente sente esta dor e a envolve com compaixão, você a deixa ir; você tem vontade de “morrer”, por assim dizer, devido ao conhecimento de que algo maior o está carregando; você se entrega à sua essência mais profunda e verdadeira, e não mais luta contra a realidade terrena.

 Você inclusive desiste de tentar convencer os outros, porque se tornou verdadeiramente você mesmo. Você não está mais aqui para mudar os outros, nem está mais aqui para mudar a si mesmo; está apenas sendo você. E esta é exatamente a sua função de ponte, que é o seu lugar natural. É isto o que quero dizer quando falo em “assumir seu lugar natural.” Tenha compaixão por si mesmo e pela velha dor que permanece em sua vida, e deixe que a cura simplesmente aconteça. Ao enxergar este processo como parte do seu caminho, e deixar a velha dor onde ela está, a cura acontecerá por si mesma. Ajuda chegará para você de todos os lados. Tudo o que aspira à vida, ao crescimento e à alegria, deseja lhe ser útil… os guias, as forças auxiliadoras do universo… Você só precisa estar disposto a assumir seu lugar natural e dizer para si mesmo: “Eu não vou mais viver de acordo com o medo. Os medos ainda podem estar por aí, mas eu sou mais, muito mais do que isso. E me recordo disto todos os dias.”

Então verá que a vida o leva ao lugar ao qual você pertence, onde se sente bem, onde pode vivenciar alegria e felicidade. Ser um trabalhador da Luz, aquele que traz a mudança, não precisa mais ser um dever pesado e cheio de agonia. Isto pertence ao passado e não é mais o seu destino. A estrada para o novo também significa para você um novo nascimento, em paz com a Terra e onde você pode assumir seu lugar de uma forma natural.

E finalmente, observe se as palavras “assumir seu lugar natural” trazem imagens espontaneamente à sua mente. Talvez lhe venham à mente lugares do seu cotidiano, ou situações, ou ocupações… ou surja algo que possa ser uma possibilidade para o futuro. Onde você se sente realmente relaxado e feliz? Esses são os lugares em que você pode deixar sua energia fluir naturalmente. Veja se alguém o chama… talvez você o reconheça como uma pessoa conhecida. Ou talvez surja um ambiente na sua visão mental… Observe se há algum lugar que o convide alegremente a ir para lá. E não tenha medo de experimentar as coisas, porque há bastante espaço para brincar livremente.

 Assumir o seu poder é voltar a sentir-se em casa na Terra sendo quem você realmente é e assumindo seu lugar aqui. Isto parece muito simples, mas é a culminação de uma longa jornada que você criou como alma. Peço-lhe que se entregue a esse lugar; ele não está mais tão distante.

Muito obrigada pela sua atenção.

 Maria Madalena 

© Pamela Kribbe www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com

O GRANDE DESAFIO DE 2017 – 02/01/17

Deixe um comentário

(Jeshua /Jesus, através de Antera)

Fonte: http://www.soulevolution.org/channelings/17-jan2-jeshua.html

Saudações! Hoje, neste começo do ano 2017, falo aos corações de todas as pessoas deste planeta. Pois todas estão alinhadas com as energias superiores de amor e compaixão, quer saibam disto ou não. Não há nada além disto que seja real! O amor é a realidade, o amor é a verdade! E quanto àqueles seres humanos que têm expressado energias que não são amorosas, sei que eles falam e agem movidos pelo sofrimento e, portanto, cabe a todos vocês amá-los ainda mais.

 Sabíamos que 2016 seria um ano desafiador; sem dúvida nenhuma. E realmente assim foi. Mas em meio a todo o caos e todas as palavras e ações dolorosas com as quais alguns se envolveram, ainda assim vemos o surgimento da energia do coração em todo mundo! Este é o desafio para todos – permanecer concentrado no coração, e ter compaixão por todos, mesmo por aqueles que estão criando energias nocivas. Não há nada mais importante. Não importa quanto o comportamento possa ser prejudicial, quanto as palavras possam ser duras… o amor é a resposta.

 Não falo isto como meras palavras. Muitas pessoas já disseram a mesma coisa. Mas o que a humanidade como um todo está experimentando agora é entender realmente o que isto quer dizer. Mover-se para uma consciência mais elevada é uma mudança que exige mais amor e compaixão, isto é bem claro. Mas o que isto significa para cada um de vocês? Como isto se manifesta, quando vocês são confrontados com as energias negativas de outros, a culpa, o ódio, as formas nocivas de agir de algumas pessoas?

 Este é o grande desafio para este ano e os próximos. Sei, com toda certeza, que cada pessoa viva é capaz de enfrentar este desafio. Como consciência, a humanidade precisa disto para se mover para o próximo nível. E embora esperássemos que isto seria um pouco mais fácil do que acabou sendo ano passado, ainda assim o aparecimento da energia do coração, em grande escala, está acontecendo agora.

 Às vezes a humanidade precisa chegar a um extremo, mergulhar no ódio e na culpa, antes de emergir com valores melhores. Agora este desafio está diante de todos. Cada pessoa é responsável pelo que contribui com a humanidade em termos de pensamentos, palavras e ações. Para cada indivíduo, este desafio se manifestará de uma forma diferente, que o impulsionará a um nível superior de amor e o levará a escolher o amor em vez de mover-se para outros tipos de energia. Independentemente do que fez no passado, cada um de vocês pode agora elevar suas contribuições a um nível de cura, ao invés de sucumbir. Esta é sua escolha a cada momento, e eu continuo esperando que os trabalhadores da luz mostrem o caminho, mostrem aos outros o que fazer, simplesmente através do exemplo.

 E peço constantemente que todas as pessoas, independentemente de religião ou crença, estejam à altura deste desafio. Esta oportunidade vem se construindo há algum tempo. A humanidade está à beira de uma mudança há uma década. Agora que o momento chegou, só é preciso que a maioria das pessoas abra seus corações, resista à tentação de fechá-los, e mostre o caminho para os outros. Se isto ocorrer neste ano, veremos algumas grandes mudanças. As chances são de que leve mais do que um ano, mas acreditamos tão fortemente na humanidade, que manteremos nosso apoio àqueles que estão progredindo com a cura e trazendo paz, bem-estar e harmonia para o planeta.

 Ao ler estas minhas palavras, muitos pensarão “Sim, eu já li isto antes.”, ou “Ah, sim, eu sei o que isto significa.” Mas eles não o põem em prática! E é por isto que transmito esta mensagem de novo. Cada vez que uma pessoa escuta uma lição profunda, recebe-a num nível um pouco mais profundo. Começa, então, a aplicá-la um pouco mais em sua vida, e em cada vez mais áreas de sua vida, até que finalmente chega a compreendê-la verdadeiramente.

Agradeço a todos por suas contribuições e abençoo todos vocês!

Jeshua através de Antera

Direitos Autorais © 2017 Antera e Omaran.

É dada permissão para compartilhar este texto com outros desde que seja apresentado em sua totalidade e com o devido crédito à fonte.

Center for Soul Evolution in Mt Shasta, CA

Uma organização sem fins lucrativos.

www.soulevolution.org

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com

A LUZ ETERNA DO UNIVERSO – janeiro 2017

Deixe um comentário

(Mensagem de Jeshua, canalizada por Pamela Kribbe)

Fonte: http://www.jeshua.net/home/home3.htm

Querido amigo,

Eu sou Jeshua. Eu o amo intensamente. Por favor, sinta minha energia ao seu redor, enquanto o saúdo. Respeito-o profundamente. Ao abrir seu coração para mim, lembre-se que estou aí dentro dele. Ao me reconhecer no nível mais profundo do seu ser, você reconhece a sua própria essência, que é a mais pura luz. Você é luz eterna e é disto que o universo é feito. Às vezes você vê essa luz irradiando-se dos meus olhos ou dos olhos de outro mestre, mas estou aqui para recordá-lo que esta luz é sua também. Meu desejo mais profundo é que você enxergue e experimente sua própria grandeza e luz interior. É isto que irá mudar o mundo, que está necessitando de mudança. Você está aqui para fazer uma diferença, mas só poderá fazê-la quando confiar verdadeiramente em quem você é. Isto pode ser uma coisa difícil, se você foi criado com ideias que sugerem que você não é bom do jeito que é. Para muitos seres humanos, sua vida natural, seu conhecimento natural, sua intuição, tornam-se velados à medida que passam pela infância.

A maioria das crianças tem uma intuição aguçada; elas sabem espontaneamente quando algo está certo ou errado. Muitas ainda têm uma conexão íntima com sua própria alma e com a fonte de onde elas vieram, e têm o desejo de conectar seus pais com a luz deles mesmos. Estou falando aqui com você que, quando criança, queria curar seus pais. Quando muito jovem, você ainda tinha consciência da alegria e do fluxo natural da vida, e queria espalhar essa vibração pelo ambiente ao seu redor. É isto que é ser um trabalhador da luz; é realmente compartilhar a vibração de alegria e amor que é a essência do universo. Ser um trabalhador da luz não é ensinar princípios ou teorias, mas compartilhar energia e se lembrar de quem você é. 

Quando você cresceu, sua luz e entendimento naturais tornaram-se mais fracos e imprecisos, porque você começou a duvidar de si mesmo. Era quase inevitável que isto acontecesse; e é por isto que o respeito. É preciso muita coragem para entrar neste mundo, nas três dimensões do plano da Terra. Você sabe que perderá temporariamente sua orientação e o conhecimento de quem você é, e isto acontece de um modo mais contundente quando ocorre a “noite escura da alma” em sua vida. Mas, paradoxalmente, é a própria “noite escura da alma” que pode trazê-lo de volta ao seu eu verdadeiro. O motivo disto é que existe uma espécie de poder na escuridão. Você tem a impressão de que emoções sombrias como medo, raiva ou tristeza deveriam ser evitadas, mas, originalmente, estas emoções fazem parte da linguagem da sua alma.

A alma fala com você principalmente através dos seus sentimentos, e é justamente no momento em que você reprime esses sentimentos… o que muitas vezes a sociedade lhe pede que faça… é justamente nesse momento que você perde a conexão com sua alma e com a linguagem da sua alma. Você está tentando obedecer as regras da sociedade, trabalhando duro, sendo uma pessoa “boa”, mas, com isto você perde contato com quem você realmente é e, no fim, se torna solitário e frustrado, e sente que sua vida está carente de alegria e inspiração. Você pensa “Minha alma, por que não consigo ouvir sua linguagem?” e talvez comece a ter emoções cada vez mais sombrias de frustração e depressão. Quando se sente assim, é porque sua alma está batendo à sua porta. Esta escuridão, na verdade, traz poder, porque nela estão escondidas as emoções que uma vez você reprimiu. É por isto que é tão importante enfrentar a escuridão interior, olhar diretamente para as emoções negativas que estão lá.

Quando ocorre uma “noite escura da alma”, você é forçado, de certa forma, a se defrontar com suas emoções; você não consegue mais fugir disso. Este encontro pode também acontecer quando você perde algo que lhe é realmente caro, quando perde um ente querido, ou quando um relacionamento termina. Estas experiências intensas de perda fazem com que você perceba a desolação e o desespero que existem dentro de si. Talvez você pense que o sofrimento pelo qual está passando é absurdo, cruel e sem sentido, e eu entendo isto profundamente. Nunca subestimarei a sua dor, mas o encorajo a, por favor, não enxergar a escuridão e a sua dor como uma coisa meramente negativa.

Gostaria de convidá-lo a explorar um pouco mais profundamente esse processo agora. Olhe para dentro de si mesmo, para uma emoção que muitas vezes o aborrece ou faz com que se sinta deprimido. Talvez perceba que há muita raiva dentro de você ou que tem que lidar com o medo. Peço-lhe agora que deixe a energia dessa emoção aparecer para você; acolha-a e peça-lhe para mostrar sua face, na forma de um animal. Seja qual for sua aparência, não o julgue. Diga “olá” para o animal e fite-o nos olhos. Sinta quanta vitalidade e poder existem nesse animal. Talvez você tenha pensado, durante muito tempo, que é ruim ter medo, que é ruim ficar com raiva, mas é importante ouvir a mensagem que vem da raiva, do medo, ou de qualquer emoção, porque você pode começar a cooperar com sua própria energia natural, com sua alma.

Então, pergunte a esse animal o que ele quer dizer-lhe, o que ele quer expressar para você e como ele pode ajudá-lo a conseguir o que você realmente quer. Os animais são, por natureza, criaturas muito espontâneas; eles não possuem uma mente que analisa tudo, então podem lhe mostrar, de um modo muito direto, o que seus sentimentos verdadeiros são. Eles também lhe mostram a sua inocência, porque os animais são inocentes, assim como o são as emoções.

As emoções tornam-se sombrias e incontroláveis quando você as reprime e não as aceita. A espiritualidade tem a ver com aceitar verdadeiramente quem você é, neste momento, com todas as emoções que você tem. À medida que desenvolve a compaixão por si mesmo, e suas emoções mais difíceis tornam-se seus melhores amigos, você se torna inteiro. Nada precisa ser escondido atrás de portas trancadas; você pode ser totalmente humano. E ao se permitir ser humano e imperfeito, você começa a se aproximar mais de outros seres humanos; você enxerga a luta e a dor deles. Quando para de julgar a si mesmo, você aceita melhor os outros. É isto que significa compartilhar sua luz.

Sinta a delicadeza desta energia. Ela não lhe diz para mudar, nem para ser uma pessoa “boa”; ela lhe diz que você é um milagre, aqui mesmo, do jeito que você é. Enxergue toda esta cena e dance entre a luz e a escuridão em seu interior, como um milagre. Não julgue a escuridão. Por favor, permita que a energia da luz aqui presente banhe você e o eleve. Permita-se relaxar, não só fisicamente, mas relaxar profundamente e sentir-se bem consigo mesmo. O que você tem para oferecer a este mundo surge espontaneamente do seu coração como sua luz natural e resplandecente. Fazer amizade com a escuridão faz parte da sua missão.

 A escuridão vem sendo deturpada através de suas tradições, especialmente as tradições religiosas. Na verdade, a escuridão não era considerada humana, por isto foi condenada, e você teve que viver de acordo com um ideal que não é humano. Mas estou aqui para encorajá-lo a abrir-se para a sua humanidade, para a sua verdadeira magnificência, e para apreciar sua beleza e regozijar-se nela… e ter alegria em sua vida.

Obrigado por compartilhar este momento comigo.

 © Pamela Kribbe www.jeshua.net

Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com